sábado, 15 de março de 2008

Fragmentos de um discurso (muito) amoroso

- Vá logo, eu não tenho a tarde toda. Preciso ir ao banco e depois ao supermercado.
- Calma, tenha paciência. Eu sou lenta porque sou criança. Você está sempre com pressa.
- ... Desculpe. Eu sou uma idiota.
- Não, você é a minha mamãe e eu te amo.
- ...

5 comentários:

Anônimo disse...

Que reticências gritantes!
É incrível - e maravilhoso! - como filho nos faz refletir!
Isso é uma pequena amostra de como filho é bênção!
bjossss pra Mári!
Rê.

jose luis disse...

filhos emocionam sempre

Anônimo disse...

tem horas que eles acabam com a gente legal...rsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

Liz / Falando de tudo! disse...

A gente sempre correndo as vezes esquecemos que nossas crianças estao apenas começando a viver...sem pressa, como nos antes!
Adorei ter vindo aqui hoje!!
Também estou passando para dizer que meu "guetsbook", ainda esta la no meu blog esperando o seu recadinho. Ficarei honrada com a sua presença!
Um abraço,
Liz

Kenia Mello disse...

Seja bem-vinda, Liz. :)