segunda-feira, 14 de abril de 2008

Dengue: combate ao preconceito

Como devemos sempre tomar cuidado com o que falamos nesses tempos politicamente corretos, justiça há de ser feita.
Parem todos os jornais, revistas, mídia eletrônica. Calem-se todos os que falam, cochicham, blasfemam e vociferam contra o mosquito da dengue. Vocês estão cometendo uma injustiça histórica, a qual perpetuará o preconceito de gênero que, por sua vez, solapará a dignidade das gerações futuras, fazendo-as passar por situações de dano, aviltamento e diminuição de sua auto-estima.
Esqueçam os velhos paradigmas. Combatam o Mosquito Fêmea da Dengue, pois, nesse caso, o macho, que tem primazia de gênero na língua portuguesa, está pagando o pato indevidamente já que o poder de picadura e pestilência, pasmem e viva a natureza!, pertence à fêmea.

3 comentários:

Anônimo disse...

De fato esse "casual" trocadilho de final de texto é pra deixar qualquer feminista perplexa! :P
É por essas e outras que eu nunca tive dúvida de que, além de aparente brincadeira com as letras esse blog tb é cultura rssss pois eu ñ sabia dessa particularidade...
Afinal, como disse Caetano - lá pelos idos anos 70- algo parecido com "quanta informação... quem lê tudo isso?!" imagine hoje afffff!
bj
Rê.

Pernambucobebendoparaomundo disse...

Eita, estás mais aflita pela dengue, ou pelo fato de Paul estar entregue às "outras"????

Kenia Mello disse...

Na verdade, o que me aflige, (aliás, o que me irrita) é a patrulha lingüística. Essa bosta do politicamente correto, sabe? Um saco!