domingo, 11 de maio de 2008

Quando nasce um filho




Quando nasce um filho,
Nos pegamos cheios de medos:
De não sabermos cuidar, alimentar e consolar;
De não conseguirmos segurar a barra do cansaço, das noites insones, das olheiras que aumentam mais e mais;
De não sobrevivermos às mudanças, mesmo sabendo que agora temos que fazê-lo por alguém que precisa de nós;
Medo de adormecer com aquela coisinha pequena no braço e derrubá-la no chão;
Medo de nunca mais termos de volta a nossa vida, a própria vida, porque o tempo parece ter adquirido vontade própria;
Medo de um choro repentino assim que conseguimos, finalmente, fazê-lo dormir;
Medo de que não arrote, medo de que não nos queira bem, medo de que sinta uma dor qualquer que não se possa apaziguar;
Medo do inseto que fira, medo da água estar fria ou quente demais, medo que a roupinha irrite a pele tão fina...
Esses são os pequenos e primeiros medos, que somem com os dias e dias que virão...
Esses darão lugar a outros porque a vida agora assume contornos mais reais e essa criatura é tão pequena, tão indefesa...
Depende tanto da nossa lucidez, que, a trancos e barrancos, conseguimos manter...
Mas, depois que nasce um filho,
Um amor tão, mas tão grande transborda de dentro do peito
Que a noção do nosso limite se perde.
Não há palavra, afago ou lágrima que consiga drenar essa loucura tão misteriosa,
Que é amar alguém assim tão em profusão.
Aí todos os medos, os grandes e os pequenos, sucumbem
Porque esse amor tão insuspeito
Nos ensina que a medida para amar alguém assim é deixar
Que essa mão pequenina leve o nosso coração pelos caminhos desconhecidos
Numa história sem fim
De um amor que desconhece o medo.

9 comentários:

Lilás disse...

Feliz Dia das Mães para você, sua mãe e todas as mulheres neste dia.
Lindo post.
Beijos

Clarice M. disse...

Feliz dia das mães!

Ah, SIM ^^

Anônimo disse...

Que bonito Kenia...

Sinto exactamente isso desde que fui mãe, há 2 anos. Ser Mãe, creio que será sempre a grande missão da vida de uma mulher. É o maior desafio, mas também o papel mais bonito que podemos encarnar, nesta grande novela que é a vida.

Liz / Falando de tudo! disse...

"ser mae é padecer no paraiso"
Essa frase retrata todos os nossos medos e responsabilidade que assumimos quando decodimos ser mae!
Adore seu texto, cheio de realidade.
Um abraço,
Liz

Kenia Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kenia Mello disse...

Lilás, seja bem-vinda! :D

Filipa, foi você que deixou o terceiro comentário? :)

Beijos, meninas!

Filipa disse...

Fui eu, sim Kenia!
Beijo de Portugal.

Sweet! disse...

Lindo lindo lindo Kênia.
Muito lindo mesmo.
Parabéns prá ti! (atrasado mas de coração)

Kenia Mello disse...

Obrigada, Sweet.
E parabéns pra você, atrasados mas de coração também.

Beijo.