quinta-feira, 5 de junho de 2008

Coisa de mulher... zinha






Detesto salão.
E nem é pelo tempo que se perde lá porque isso você até racionaliza: não dá para chegar com a juba rastafári e sair uma platinum blonde num piscar de olhos. Sem contar que geralmente o resultado final dá uma guaribada no astral: não conheço ninguém que se sinta mal com as unhas feitinhas, o cabelo com um corte bacana e tudo mais. Pode não ser a solução de todos os problemas emocionais, sexuais e financeiros da vida de uma pessoa, mas não resta dúvida que ajuda - e em alguns casos, muito.

O que não suporto mesmo, além das fofocas tolas (porque das boas todo mundo gosta, não sejamos hipócritas) e dos oi, querida! (ai, qual é mesmo o nome dela?), é um determinado tipo de pessoa que freqüenta o ambiente.
Sinceramente, acho que o cheiro das tinturas, do formol das escovas progressivas, bem como o calor do secador e das chapinhas devem causar alguma reação cerebral adversa porque é muito difícil acreditar que uma pessoa possa ser e soar tão fake no seu dia-a-dia.

E existe um certo padrão, já observei isso. São moças entre os vinte e tantos e os 30 e poucos anos. E, neste caso, as mesmas se encontram numa espécie de limbo: saíram da adolescência, mas ainda não chegaram ao ponto do que antigamente se chamava mulher feita.
O que as denuncia é a voz aguda e irritante acompanhada daquele tom mimado que jamais pronuncia palavras como por favor e obrigada quando, por exemplo, a moça do aceita um café/chá/água/refrigerante/suco/mate, senhora? se aproxima. O máximo que as enjoadinhas conseguem dizer é: com adoçante. Nojo.

Prefiro pensar que essas pessoas agem assim porque se sentem observadas e precisam provar alguma coisa a respeito de si mesmas. No entanto, mostram apenas o fino da boçalidade. Parece que dá um faniquito na hora que a criatura entra no salão e eis que começa o transe. O melhor mesmo é colocar o fone de ouvido e abstrair do ambiente. Mulherzinha é uma coisa intragável.


Fotografia: Flickr

13 comentários:

Renata Komuro disse...

Obaaa, sou a primeira! É "craro" que depois eu volto não só pra ver os comentários como pra comentar mais...
Coisas de mulherzinha:
1o. orkut
2o. Ficar no shopping nem que seja pra "espairecer"...
3a. Falar, falar e falar...
4a. Perguntar pra outra, discretamente... qual é o "tom" do seu cabelo? (As mais educadas, claro, porque as mais inconvenientes falam alto e não tão nem aí que cometeram uma gafe!)5a. Agora... coisa de mulherzinha mais idosa é: dar dois beijinhos na face e nem tocar (sabe aquela coisa bem falsiê? "terrible!!!"
E só pra finalizar: guarda algum assunto pra quando a gente se encontrar, né? huaahuahua...

Lilás disse...

Bem observado, Kenia.
Inclusive, isto que vc disse sobre esta faixa dos "inte/inta" é assim mesmo. Agem sem nenhum pouco de educação ou gentileza para com essas pessoas que, na verdade, são trabalhadores "invisíveis", mas que nosso mundo fica muito melhor com eles presentes.


Agora, para complementar, aqui no Rio as "peruas" da minha faixa de idade é que adoram aparecer nos salões. Chegam parecendo mais travestis, falando alto, beijando todos do salão, mostrando a intimidade com eles, contando o que rolou no final de seman e blá-blá-blá....
Extravagância mesmo é o que vi noutro dia, com uma dessas fazendo o tal interlace que dura quase o dia inteiro para fazer. Uma coisa horrorosa! E, além do interlace, a perua fazia as unhas com desenhos coloridos. Fala sério, isso é medonho!
E ela se achava, çcoitada!

Nossa, que língua ferina a minha!

Clarice M. disse...

Eu costumo dizer que sou mulherzinha, mas não desse tipo aí, pois tenho nojinho (é só uma maneira sutil de assumir minhas frescurinhas hahah)
Mas, Ke, isso não é transformação de salão. Elas são assim o tempo inteiro e da mesma maneira como tratam o pessoal no salão, tratam garçom, frentista, manobrista, porteiro, colegas... E já está mais do que na hora de serem mulher feita, né? Irrita demais. Certa vez quase disse a uma para falar feito gente, porque não suporto miado (existe apenas um jeito específico cheio de charminho que pode ser usado, às vezes, para conseguir algo com o respectivo e só. jamais abusar ^^)

Kenia Mello disse...

Re, o que não vai faltar é assunto, fia. E se faltar, nós falamos da vida dos outros na boa, sem discriminação. Hohoho

Lilás, língua ferina é coisa séria mesmo, viu? Mas como você está na bodega da Cobra, o que não falta é soro antiofídico, fique à vontade. ;)

Clarice, também tenhos meus ataques de mulherzinha, como não? O horrível é a tal da mulher... zinha e dessas que miam eu quero mais é distância. :D

Patsy disse...

Ai como eu odeio essas mulézinhas miadeiras. Eu adoro ir ao salão vazio, só eu e a cabelereira - que entende que quando ela mexe no meu cabelo eu ronco.
Porque vamos combinar que up no visu sempre ajuda, mas ter que aguentar gata no cio pra isso ninguém merece. Se for fazer uma pesquisa, essazinhas devem estar tudo ovulando quando tão no salão. Pode apostar!

Coronel Yanossauro disse...

Eita que só teve mulher comentando!
E eu, que não gosto de comentar, me vi tentado a deixar uma opinião:
1. Concordo com Lilás. Essas mulher...zinhas dos inte/inta são assim o tempo todo, inclusive em casa. O que tenho de prima que só olha os outros com desprezo por não compartilharem dos mesmos gostos é incrível, isso para que os comentários fiquem em casa, por que se for sair de casa... Pode ver essas mulher...zinhas pela rua, conversando com as amigas (principalmente as que já são "mulheres feitas") e notarás logo o desajuste delas. Principalmente quando acham que têm um Real a mais que os outros. Insuportáveis.
Odeio mulher...zinha. Prefiro mulher...ona!

Nei Ken iti disse...

Pode crer, tem a metaleira do Spock, massa!

Bárbara M.P. disse...

Bah!

Ô racinha peçonhenta.

DJ disse...

O Gabriel, o Pensador tem uma música que representa tudo o que acabaste de expor: Lôraburra ;)

Subscrevo por inteiro o conteúdo do teu post, ainda que não frequente os cabeleireiros com a mesma assiduidade de uma mulher ehehehe

Beijos!

Eugênia Bittencourt disse...

Amiga, as MUJERITAS SON MISMO UNA LÁSTIMA, jajajajaja
Morri de rir com seu texto!
Nossa!! Como vc descreveu bem essas meninas dos cabelosdeescovaprogressiva que frequentam o salão.
NÃO NEGO que adoro fazer escova e meu cabelo agradece quando faço,jejjeje
Mas, SÓ VOU no salão que tem aqui perto de casa, E ...na hora que SÓ TEM EU,[e mais ninguém] jajaja
A HORA?HORA DO ALMOÇO, jajajaja
E aí,SÓ EU reino lá no salão e FOFOCO em ESPANHOL com a DONA DO SALÃO que tem a minha idade e é minha amiga.
JOANA [ruanaaaaa] é chilena!
Além de deixar meus cabelos maravilhosos lá, ainda PRATICO meu espanhol!!
ES DIEZZZZZZZZZZZ, jajaja
A minha cabelereira morre de rir comigo!!
No final, saio de lá, linda, loira , escovada[jajajaja] e TININDO no espanhol,jijiji



amigaaaaaaaaaa....
----> eu não disse que vinha??


E AGORA, vou ficar sempre por aqui!
ADORO seu estilo de escrever,vc sabe!
SOU SUA FÃ!!

besitos, chica!!

Anônimo disse...

Oia euzinha dando o ar da graça rssssss.
Menina, sabia que eu tb detesto salão por causa da auto-afirmação que eu tenho quase obrigação de presenciar?!
Afffff ninguém merece!
Ainda bem que não vou com freqüência, até pq anatomicamente sou totalmente desprovida:)
Amei o lúki! liáizzzz... tu fica linda de todo jeito :)
( sou hetero:P)
bjão intu, Paul e Mári
Regina

Kenia Mello disse...

Regina, estás careca, qualidade? Hehehe
Beijos.

Coronel Yanossauro disse...

Só mais uns comentários:
1. Já notou que as mulher...zinhas vivem pelo menos mostrando os seios quando não estão seminuas?
2. Já notou que têm sempre que ter uma bolsa em que cabe até o poodle da mãe delas? Com a vasilha de comida dele?
3. Por que será que essas mulher...zinhas vivem cheias de brincão e pulseiras barulhentas?
4. Elas normalmente têm dois tipos de voz: Ou rouca que parece um mastim gripado ou gasguita como uma maritaca no cio.

E, só pra reclamar: Depois de tua crônica não consigo mais ver uma mulher...zinha sem dizer (muitas vezes em voz alta, pra dona do meu destino), apontando pra dita-cuja: Mulher...zinha!
Um dia destes ainda levo uma bolsada (com poodle e tudo) por tua culpa!
Beijins!
Em tempo: aoqqnz