quarta-feira, 18 de junho de 2008

Falta de assunto



É viagem minha ou falta assunto para a imprensa? Sim, porque fazer da fuga das adolescentes patricinhas-revoltadas de São Paulo a bola da vez já está ficando ridículo. A impressão que fica é que, na falta de alguma tragédia escabrosa e classe média, o melhor a fazer é transformar o episódio das meninas mimadinhas em uma novela. No próximo capítulo, o seleto público saberá se elas têm um relacionamento homossexual ou não. Ai, ai...
Agora, quando a notícia é sobre a tortura (amputação de mãos e perna) seguida de morte dos três rapazes entregues aos traficantes pelo tenente do Exército e seus subordinados, não rende, fala-se da ocupação do morro pelo Exército, do encontro seguido pelo abraço protocolar e condescendente do Ministro da Justiça em uma das mães, mas sobre os rapazes, nada, vão virar estatística. Por quê? Porque eram negros, pobres e favelados. E isto interessa a quem, ora?

4 comentários:

Anônimo disse...

a mais pura verdade,infelizmente.
Se fossem filhos da classe média ou alta,não seria só a comunidade deles na passeata,mas o Brasil inteiro.É mais fácil a identificação com o igual né?

Bjos e []s

Ivette Góis

DJ disse...

Ai amiga, amiga...

se tu estivesses em Portugal ias ver as novelas que aqui se fazem por bem menos que "meninas patricinhas mimadas que fogem". Acho que a falta de notícia está em todo o lado. Depois admiram-se que na Rússia, durante a era Putin (se é que ela já acabou), os noticiários eram obrigados a iniciar e terminar com boas notícias, tendo como objectivo motivar o povo russo. Infelizmente, as sociedades ocidentais inspiram o povo a estupidificar-se! Estamos a caminhar, cada vez mais, para a era dos Homer Simpsons: as pessoas são cada vez mais fúteis e estúpidas e grande culpa disso é a sociedade de informação.

Beijo!

Lilás disse...

Oi, Kenia!

Complementando o que o dj falou, digo-lhes que vi a mesma coisa na Argentina quando lá estive naquelas épocas de vacas magras em que o povo estava prá lá de aturdido. Vi vários cartazes nas ruas, incentivando o povo a não acreditar em todas as notícias e pedindo aos "donos" da mídia para não exagerarem nas notícias e nem super-dimensionarem os fatos.
Acho que no Brasil está mais que na hora dos meios de comunicação começarem a fazer alguma coisa para
levantar a moral do brasileiro e não afundar-nos em tantas tristezas e mostrando só o que de pior acontece. Não é possível que só mostrem desgraças neste país!
No entanto, devo dizer-lhes também que aqui no Rio, esta notícia tem sido abordada dia e noite pelas rádios e tv locais.
Só não entendo porque não prenderam também os bandidos que mataram os rapazes, ou seja, só chamaram a atenção para o fato dos militares (bandidos também) terem feito esta ação vergonhosa. Ninguém cobrou até agora a prisão desses traficantes miseráveis que a cada dia tocam mais terror na população carioca.

abração.

Expedito Paz disse...

Simples, amiga Kenia: audiência. Patricinhas supostamente lésbicas que fogem de casa dá audiência. Garotos (que muitos devem achar que também eram traficantes) mortos num morro, soa irrelevante pro público médio...

Sad, but true. E no mundo todo é assim, antes que alguém ache que é exclusividade nossa.