terça-feira, 23 de setembro de 2008

Testemunhas de Jeová



A Missão, parte III





Você poder ser hare krishna. Você poder ser kardecista. Você pode ser ateu. Você pode ser budista. Você pode ser católico. Você pode ser agnóstico. Você pode ser muçulmano. Você pode ser evangélico. Você pode ser judeu. Você pode ser xintoísta. Você pode ser até testemunha de jeová. Você pode fundar a sua igreja, o que pode ser até um bom negócio. Como dizia Baby quando ainda não era do Brasil, baseado em mim você pode fazer quase tudo...

Só não venha invadir o meu espaço. Só não queria me fazer de idiota porque isso não se faz. Só não minta, só não venha com estratégias porque isso me exaspera. Já fui abordada, via interfone, por representantes comerciais das Testemunhas de Jeová, vocês lembram disso. Na primeira investida, foi a tal Ana não-sei-das-quantas falando de um grupo de estudos em inglês. Depois dois gaiatos juntos, os quais foram despachados no ato, via porteiro, nem me dei ao trabalho de ouvir o que quer que fosse. Hoje o telefone toca, era a mesma Ana. O número aqui de casa! A mesma conversa falaciosa de grupo de idiomas, projeto cultural. Dessa vez, dei nome aos bois. De novo, Ana? Que mané grupo, minha filha, você é Testemunha de Jeová à procura de fiéis para sua seita. Diga a que veio sem estratagemas, é mais honesto, pelo menos esse mérito eu poderia apreciar em vocês. Você tem vergonha de ser Testemunha de Jeová, Ana? Pensando bem, eu, no seu lugar, teria. Que outro motivo além de vergonha, ou falta dela, alguém poderia ter para invadir a casa dos outros assim, mentindo, em nome de Jeová ou de quem quer que seja?

24 comentários:

Coronel Yanossauro disse...

...E o que foi que a atendente de telemarketing respondeu?

gnklktgc

Repórter Bacurau disse...

Eu tive uma grande amizade (e quase amor) com uma Testemunha de Jeová, do sexo feminino, claro. Por meio dela, conheci várias outras pessoas e, em nenhum momento eles tentaram me converter. E naquela época eu já tinha perdido o resto da fé que eu tinha. Eles tinham algumas idéias que eu discordava, mas a convivência era boa e respeitosa.

Por outro lado, já fui abordado algumas vezes por esses chatos querendo vender essas revistas, mas nenhuma vez, por telefone. Parece que quando bate a necessidade de ganhar dinheiro pra sustentar os projetos deles, eles se excedem. Nesse caso, parece que virou meio de vida...

Nei Ken iti Schimada disse...

Eles sao tristes. Ha TJs japoneses. Sao quase quackers e trazem os filhos para a porta da minha casa. Eu digo nao e bato na cara.
Saiam do planeta!
Eles disseram que o mundo ia acabar em tal dia e mes de 2000 e realmente o mundo acabou, pra eles.
Como pernilongos, sao chatos no coletivo, plural.
Se so eles tem a verdade universal, entao defendo o inferno.

Repórter Bacurau disse...

Ah! Eu tenho receitas infalíveis pra espantar rapidamente chatos de telemarketing:

1) Se o ligante quiser vender produto religioso, diga que é ateu, macumbeiro, etc...

2) Se for pra fazer cartão de crédito, liga que é desempregado. Ninguém quer fazer negócio com gente em dificuldades financeiras.

3) Se for da LBV, diga que já contribui regularmente com outros projetos sociais...

Paola disse...

Nunca um judeu, um mulçumano, budista ou católico bateu na miha porta, mas "crente", pra generalizar mesmo, vêm em bando, cheios de verdades, eu nnao tenho saco! Tem tambeem os Mormons, os elders e as sisters....
Hare Krisna de sinal é uma coisa folclórica, Faz tempo mas tinha osTFP, com esses me ensinaram dizer que eu era sobrinha da Dona Antonieta, eles evaporavam!
Vamos combinar? é muito chato, né? Cada um na sua!
Eu não fico falando por ai que as pessoas tem que ler Saramago, que Saramago sabe tudo, que ele escreve bem e é o mair, não, eu deixo, tem gente que lê Paulo Coelho, eu nem digo o quê eu penso!
Dá licença, eu não quero ser de religião nenhuma, eu saí da minha! Não falo mais isso pois era pano pra manga!

Pernambucobebendoparaomundo disse...

Tive uma professora primária que era TJ, tem uns vizinhos de minha mãe que também são, nunca me importunaram, de vez enquando tem uma que me dá um "santinho", mas nunca entrei em detalhes com el@s não... Mas se chegarem com muita lenga lenga tenho o discurso na ponta da língua, principalmente pq, na fé deles, o Céu já está lotado...
Já fui importunado pela TFP, eu contra argumentei e o cara veio me ameaçar de dedurar ao meu patrão, à época, na verdade um amigo de longas datas, o feladaputa ficou sem ação. Noutra vez, em casa, coloquei o Hino da Internacional pra tocar bem alto e pus uma foto de Che na janela...

godcjey

Lilás disse...

hahahhaha
O repórter bacurau disse tudo!
Hoje mesmo uma moça com voz aveludada liga aqui pra casa perguntando se podia falar com o dono ou a dona da casa. Perguntei prá quê, já que eu era a dona da casa, e ela foi dizendo que era da LBV e eu fui logo adiantando que alguém ligou ha poucos dias e eu "já disse que não vou contribuir com dinheiro nenhum"!
Rapidinho ela desligou e agradeceu.
Já reparei que tem que ser curto e grosso, senão ficam na conversa mole e eu tô fora.

Ela nem sabe que lá na serra onde morei, conheci a mansão do filho do dono da LBV, criatura tosca, gorda, médico e viciado em anfetaminas. Só vivia "ligadão" e a empregada dele, que já foi minha um dia, sofria para aturar suas chatices e paranóias. Tinha, quer dizer, tem, uma garagem fechada a 4 chaves com carros importados dos mais diversos, sem uso, guardados ali para não aparentar para onde vai o "dimdim" que as pessoas mal-informadas ou crentes pagam a eles como contribuição.

Tô fora!

abraço carioca

Anônimo disse...

O que se percebe é que a “crença” carregada de religiosidade – que nada tem a ver com fé – necessita de pacotes, fórmulas, rótulos, imagens, demonstrações, expressões e visibilidades.
Acredito que seja justamente por isso que a religião – seja qual for - sempre incomoda quando tem a pretensão de falar mais alto do que o mandamento de amar ao próximo.
Observe que os fariseus cheios de si e de suas próprias regras se escandalizaram quando Jesus usou, propositadamente, um samaritano para exemplificar o que seria amar ao próximo.
(Justamente eles -os samaritanos -que adoravam deuses estranhos e faziam oferendas sinistras?!)
E os tais – fariseus - ainda hoje seguem por aí sem entender que nada do que Ele falou tinha a ver com arbitrariedade, regras ou moral...
bjs
Regina

Fatima disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkk!!!!!
Ai Kenia, só vc pra me fazer rir!!.....quero saber tb o que Ana respondeu?kkkkkkkkkkkkkkkk!
Mas fica calma e se consola comigo, pois morava numa casa que em frente tinha uma igreja evangélica, que para desespero da família todos os domingos pontualmente as 800hs hs da manhã o pastor testava o som, dizendo repetidamente JESUSSSSSSSSSSS, JESUSSSSSSSSSS!!!.........até que um dia meu irmão arrumou um megafone e num ímpeto de raiva entrou na igreja, gritando: Vai pro inferno, pastor FDP!!!...kkkkkkkkk

Kenia Mello disse...

Amores de mi bida (copiando o espanhol de LLauriti, do qual muito gostei e aprendi), vocês se amarram num barraco, né, não? Hehehe Me too too! :P

Yano e Fátima, depois de dizer essas palavras, eu, com toda classe e fineza de que sou capaz, bati o telefone na cara de Ana, bem na hora que ela ia respirar! Hohoho

Fábio, quando morei em Belém (de 1990 a 93), tive uma grande amiga evangélica, da Assembléia de Deus (conhecida por seu radicalismo). Trabalhávamos juntas, o pai dela era pastor, eu fui várias vezes à sua casa, mas nunca, nunca mesmo, ela tentou me catequizar - acho que ela sabia que eu era um caso perdido mesmo. Hehehe
Não tenho preconceito religioso, mas não tolero que tentem me manipular e induzir a fazer o que eu não quero. :P

Nei, você anda invocadíssimo, muito mau mesmo. Mas eu gostcho. :P
Beijo.

Paola, falar sobre religião sempre dá muito pano pra manga, amiga... Prefiro a tolerância e a convivência pacífica. Isso quando dá... Infelizmente, as pessoas tendem a se consumir, manter o foco só na religião e isso torna a convivência um saco.
E também acho Saramago o máximo! Foi ver Cegueira? Eu fui e amei!
Beijos.

Gio, não fala em TFP que tu apanhas do gordo. Hehehehe

Beth, quando alguém liga aqui pra casa e pergunta quem está falando, eu carregou no sotaque matuto e digo que sou a empregada. Hehehe Num minuto dão bom dia/boa tarde e desligam. ;)
Beijos.

Regina, é um bando de fariseus descalcificados, viu?? :)
Beijos.

Fátima, pense num alopro bem dado esse do seu irmão!! Hehehe
Beijos

Gente, de ontem pra hoje estou numa correria de louco, mas assim que aliviar, vou visitar vocês, viram? :D

Kenia Mello disse...

Paolaaaaaaa, antes que eu esqueça de novo: criatura, explica isso de dizer ao povo do TFP que é sobrinha de Antonieta (Maria Antonieta?). Adoro me inteirar das maldades. Hohoho

Paola disse...

Gente, sou democrática, a história é assim:
Não si bem os nomes, mas é assim: a Dona Antonieta era a mãe do chefão da TFP!
Então eu aproveitava... Se alguém quiser tentar... tudo bem, mas depois me conta, será que eles ainda lembram?

Beijos
PAola

jose luis disse...

tenho uma historinha
eu tinha que operar uma senhora de uns 80 anos que estava com fratura do femur era TJ e nao podia ser transfundida
a filha todo dia me lembrava isso
Dr., o sangue
ela nao pode tomar sangue
na vespera da cirugia a velhinha me chamou na beira da cama, quando a filha tinha saido
- Dr. se precisar pode me dar sangue sim
eu so' nao quero morrer, viu?
moral: quem tem ... tem medo

DJ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DJ disse...

Eu respeito, juro que respeito, todos os credos religiosos, seitas e heresias. Mas respeito mesmo. Mas confesso que às vezes é extremamente difícil respeitar alguns deles. Afinal, porque não conseguem eles respeitar-me também a mim?

Beijos

Jôka P. disse...

Sou contra todos os tipos de religião, não importa quais sejam. Não servem pra nada de bom além de trazer culpa e preconceito.

Gerly disse...

Kenia, vc adooora uma polêmica, né naum??? rsrsrsrs...

As opiniões são das mais diversas, do respeito ao ódio confesso. Minha nossa!
Confesso que lembrei de um causo que aconteceu com uma moça que é TJ, na empresa onde eu trabalhava. Sempre que alguém fazia aniversário, a gente fazia a velha "cotinha" pra comprar um bolinho e comemorar o níver da pessoa, como demonstração de afeto e etc. Mas, qdo se aproximou o dia do níver dela, ela avisou que não podíamos comemorar, nem fazer festa, bolo, o que quer q fosse, porque na religião dela não era permitido comemorar o aniversário. Mas aceitou de bom grado os presentes q foram dados. rsrsrsrss...

Um Deus que não permite q vc comemore o dia em que ele te deu vida??? Aff! Quero não!

O meu Deus me dá liberdade de celebrar todos os momentos da minha vida e tem prazer na minha alegria! Porque Ele é o doador da vida!

Ó, religião é coisa que não dá mesmo pra discutir. Mas o radicalismo e as loucuras que os homens cometem e asseveram usando a religião como pano de fundo não estão no gibi.

Só não culpem a Deus pela loucura dos homens!

Deus não é invasivo, nem tirano, nem desrespeitoso, nem 'inxirido'.

Respeito e bom senso são fundamentais! Não só em assuntos religiosos, em tudo!

P.S. Tá vendo q eu apareci!?
Deixa acabarem as provas que eu volto. Xêro!

Kenia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kenia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kenia Mello disse...

Gerly, pode crer que adoro mesmo uma polêmica. Esse negócio de post com música de relaxamento não é comigo, não. Hehehe
E as pessoas são assim mesmo, têm ódios e paixões, isso é humano. No entanto, admiro as que têm também a coragem de expressá-los. ;)
(Se bem que de vez em quando o pessoal se empolga. Ui)
Beijos.

Gente, quem apagou os comentários de cima fui eu. Não bebo durante a semana. :P

Alvaro disse...

Ainda bem que não aderiram à estratégia dos mórmons, a dupla dinâmica, que lhe aborda em plena rua à espera de um convite pra almoçar, jantar, etc e tal. kkkkkkkkkkkkk
E quando as testemunhas inventam de "ler" um trecho da bíblia? Dia desse apareceu um aqui em casa, parecia que tinha decorado o texto, também não duvido nada.

Kenia Mello disse...

Álvaro, pior do que isso, só os mini guias de Olinda. Hehehe
Beijos.

Repórter Bacurau disse...

Falando em chatos religiosos, alguém lembra dos Hare Krisnas que faziam ponto em frente a finada Livro 7, daqui de Recife?

Kenia Mello disse...

Fábio, eu lembro! :)
Bons tempos da Livro 7.