quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Barraco no toilette



Ultimamente não ando deixando muita coisa passar, não. E o último sábado foi dia de D. Maria, a Louca. Tínhamos acabado de almoçar - sim, bem perto do casal da praça - e eu resolvi dar um pulo no toilette. Sabe como é, depois das 13h, shopping cheio, aquele inferno, banheiro idem. A fila de espera grande e a mulherada indócil. Eu estava no segundo lugar da fila e na boa, só faltava o cafezinho na livraria.

Eis que um dos sanitários vaga. Sai dele uma senhora bastante idosa, apoiada numa bengala. A encarregada da limpeza estava parada perto dela. Daí a velhinha, muito simpática, parou onde estava, viu a moça (porque muita gente tem o pessoal do apoio na conta de invisível, não é mesmo?) e perguntou se ela estava cansada. Pra quê?? Do fim da fila só se ouviu o zunzunzum de descontentamento porque a mulher estava demorando. Fiquei muito indignada. A menos que se tenha incontinência urinária, o que são três míseros segundos a mais de espera? Perguntei para a moça que estava atrás de mim se esse povo acha que nunca vai envelhecer alto o
suficiente para ser ouvida pela turma do fundão (sem pena do trocadilho porque gente ruim merece). E entrei.

Na volta, quando eu me dirigia à pia, uma das que chiou com a senhora pegou no meu ombro (pensem na minha cara de abuso olhando a mão dela tocando em mim...) e disse que tinha se impacientado não com a idosa, mas porque estava apertada. Claro que a minha vontade foi mandá-la rosquear, mas fiquei tão danada com a criatura que me segurei o suficiente para não dizê-lo. Cara de pau dos infernos! Todo mundo viu a expressão de enfado com que ela reagiu à parada da mulher. O-d-e-i-o gente que quando é pega no pulo do gato, dá uma de desentendida!

Limitei-me a olhá-la bem nos olhos e dizer o seguinte: caso você consiga chegar nessa idade com alguma lucidez, desejo que te tratem da mesma maneira e você, nesse momento, lembre-se de hoje. Desarqueei a sobrancelha esquerda e saí. Como diria a minha avó: ah, sujeitinha!

13 comentários:

Lilás/Beth disse...

Menina, isso é terrível e acontece aos montes por aí e aqui neste HelldeJaneiro!
Noutro dia, quando fui assistir Mamma Mia, sentei-me com o marido duas cadeiras depois da fila para que algum outro casal pudesse sentar-se juntos quando chegassem, pensando em não deixar uma só cadeira vazia. Pensamento muito cristão e idiota cheguei à conclusão. Aí sentaram-se a mãe e uma velha filha. Não riram nem vibraram nem um pouquinho com o filme lindo e alegre, mas lá pelo meio do filme um homem que estava com sua mulher e filho na nossa mesma fileira, levantou-se e pediu licença para passar. Tinha que ir lá fora. Tudo bem, arredamos os pés e ele passou tranquilamente.
As duas também o fizeram. Mas, na volta, ele vinha equilibrando um daqueles copões de pipoca cheios, talvez para o filho teen que pedira e um refrigerante. Ao pedir licença as duas para chegar ao meio, elas deram, mas a filha velha, fazia estalados de insatisfação com a língua bem alto, como se aquilo fosse o pior dos incômodos e a mãe resmungava.
Ele saiu e tinha que retornar, mas as mulherzinhas se irritaram com tão pouco.
Sabe que isso é típico de gente mal-amada, não é!

Kenia, querida, acho que qualquer dia desses vou ter um ataque que nem o M.Douglas naquele filme Um dia de Fúria e vou sair por aí, metralhando todos os chatos, mal-educados, obtusos, infames, corruptos, ladrões....Quer se juntar a mim?

bjs cariocas

batatatransgenica disse...

outro detalhe que achei interessante foi a atenção que a senhora teve com a funcionária. por coincidência, tinha acabado de receber um email que começava assim:

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom ou empregado, não pode ser uma boa pessoa.

Anônimo disse...

infelizmente,cada vez mais q saio de casa e vejo coisas como essa,concluo q as pessoas de maneira geral estão a cada dia mais mal educadas,egoístas e insensíveis.Cordialidade e gentileza parecem ser coisas do passado...

Bjos e []s

Ivette Góis

Sweet! disse...

É, o q falta a este povo de hj é gentileza. E parece q td mundo faz coisas assim automaticamente, os anormais são os educados. É incrível!

Esperança da Luz disse...

Kkkkkkkkkkkkkkkkk
Conheço muito bem essa desarqueada de sobrancelha.
Ai ai, onde foi parar a educação do povo? Onde foi parar o respeito do povo? Lembro ontem no Sesc e um camarada amigo meu se referindo às meninas da Boa Idade como as velhas. Ai ai! (outra vez) Só nossos companheiros de mais experiência pra enssinar alguma coisa a essa geração de hoje.

josue mendonca disse...

como diria renato russo, a humanidade é desumana, mas ainda temos chances....
quanto a saudades...é uma coisinha complicada né?

Fatima disse...

KKKKKKKKKK!!!!
Kenia, fico imaginando vc desarqueando a sobrancelha!!!!
Por essas e outras que gosto de você, mesmo sem conhecê-la...mulher arretada!!!
Já estou na era dos "enta". e vc não tem noção de como fico irada qdo um engraçadinho me chama de " tia" ou véia", principalmente no trânsito, mas não deixo por menos e boto a cabeça pra fora e xingo a mãe dele!
Beijos

Gerly disse...

Ela nunca mais vai esquecer dessa resposta! rsrsrs... E vai pensar duas vezes antes de reagir assim novamente. Assim espero!
Beijoka!

penelopyxarmosa disse...

ora se sentar e ainda por cima ao mmo tempo me levanto oferecendo o meu lugar.claro q isto quebra qquer cara d pau amsculina nehe p melhorar eh ouvir a senhora....nao precisa tenho mais saude q ele..!"
jkkkkkkkkkkkk eh amiga nao eh facil

Anônimo disse...

Como chegar na velhice COM lucidez, se bem antes ela já a perdeu?!
Mas valeu o puxão de orelha, quem sabe assim ela (a lucidez) não volta?
Assim espero, pois sou uma otimista!
bj
R.

Andréia disse...

é isso aí...
mas adorei sua desarqueada de sobrancelhas. Eu faço uma cara assim tb: fecho os olhos bem lentamente e ativo o músculo depressor do ângulo da boca. Os meus sempre dizem: "sai de baixo que ela tá piscando lento."

Confraria do Grito disse...

Como dizem aqui em Recife:
"Botou pra gerar!!!"

Odeio gente que não tem um pingo de educação, principalmente com os idosos.

Mas um dia eles chegam lá e entendem o quanto a educação com os idosos é importante,

Audrofonso Araújo III

Mani disse...

Muito bem!!!!!!!!!!!!