quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Ditadura loura



Quando eu era criança, tinha cabelos claros (entre o louro cinza e o castanho dourado). Na adolescência, definiu para castanho-claro. Pintei meu cabelo pela primeira vez há uns doze anos e de vermelho. Variei os tons vermelhos por alguns anos e depois passei ao louro: claro, cinza, champagne, mas nunca sueco, porque eu bebo, sim, mas com moderação.

Em junho deste ano, decidi que teria o cabelo numa cor que nunca havia experimentado: preto. E quem disse que a minha ex-cabeleireira deixou? Sim, ela mandou em mim, razão pela qual é ex... Então mudei de profissional e salão e fui logo dizendo que queria preto. Vocês precisavam ver a cara de espanto da moça! Como meu cabelo estava castanho-escuro, dá para deduzir qual foi a sugestão dela, não? Vamos abrir umas mechas louras, você até pode deixar mais curto, mas vamos clarear! Jura, bunita?

Eu, claro, fui veemente: mais curto e preto! Conformada, ela fez o que eu pedi e depois viu que ficou legal (ou disse que ficou, porque a merda, na opinião dela, já estava feita...). Só sei que eu me senti satisfeita, leve e moreníssima. Inclusive hoje fui lá tosar de novo e mandar um pretão pra cima. Ela, claro, perguntou se meu
marido gostou (oh!) e se eu não queria botar umas mechinhas claras (non!).

Aí eu fico pensando na ditadura, na padronização das cabeleiras louras, com mechas e compridas! Putz, eu tive que argumentar para convencer as criaturas de que eu queria um cabelo curto e escuro! Como tenho a pele e os olhos claros, acredito que um cabelo escuro me valoriza mais, realça meus traços. Além disso, não tenho mais paciência para ficar desembaraçando cabelón, fazendo chapinha e essas perdas de tempo todas. Quero mais é ter uma festa às 22h e estar debaixo do chuveiro às 21. Onde já se viu rezar para não chover pelo poder e glória de uma escova? Ah, não tenho mais tempo para isso.

E curtos, sim! Vocês não imaginam a quantidade de Eu não tenho a sua coragem que ouvi nessas idas ao salão. Mas como eu sou colocada, digo que, com quase 42 anos, não vou pagar de cocota com um cabelão na bunda. Além do mais, também sou truqueira: fofa, cabelo curto rejuvenesce.

Nada contra os louros e louras, naturais ou à força, mas essa insistência em ter os cabelos claros e desvalorizar qualquer outra coisa que fuja a esse padrão é, na minha opinião, atitude de colonizado.


Essa escova progressiva não deu certo, né, gente? Ou teria sido o choque de queratina? Acho que exageraram na voltagem...




16 comentários:

João Eurico disse...

Que foi que houve ? Quis fazer o teste da loira que experimentou a "Inteligência Artificial" ? Pintou o cabelo de preto !!

Kenia Mello disse...

Pois é, JE, meu caro, cansei de ser apenas um rostinho e corpinho bonitos. :P

Repórter Bacurau disse...

Huahuahau!

Tá parecendo uma leoa!

Pior que a ditadura loura é a ditadura do alisamento que vem vitimando muita mulheres. Eu já ouvi cada narrativa de sofrimento diário pra manter o cabelo liso...

Fatima disse...

KKKKKKKKKKKKKKk!!!!
Também mudei a cor do meu cabelo, pra escuro,. chega de ser loura mechada, e fui mais além pedi que cortasse chanelll.. curto e franja...vê lá no meu orkut!
...mas ja enjoei do corte,essa semana ja fui lá, pedi pra cortar mais curto,mas a franja não tem jeito, vou ter que esperar...ahahahahah

Anônimo disse...

esse choque de queratina foi poderoso hein? rsrsrsrs

Mas realmente é lamentável ver as pessoas padronizadas nos seus gostos e aparências.E te digo mais,cabelo curto é pra quem tem peronalidade!
Já tive os meus longos,mas faz muito tempo.Prefiro a praticidade.

Bjos e []s

Ivette Góis

Beth/Lilás disse...

kkkkkkkkkkk
O photoshop tá demais!

Ô menina maluquinha, acho que vc deve ter ficado muito bem de cabelos mais escuros, constrastando com sua pele clara. E não vai atrás dessas ditas "coiffeurs" porque eu acho que elas só querem ver a gente feia.
Siga suas intuições capilares.

bjs cariocas

Graça Carpes disse...

Lindamente "oxigenada primitiva" - é a ditadura das cavernas - rss
Bjo

Anônimo disse...

Acho q as feministas em potencial dessa época rsss deviam ficar p da vida porque seus devidos machos não inventavam logo a tal chapinha :P
Belo look!
bj
R.

Kaká disse...

Ahhh essa ditadura das loiras....sei bem como é. :) O meu cabelo é preto e até 3 anos atrás nunca tinha visto tinta (mais aí os brancos apareceram e cedi). Anyway, todos os cabelereiros que eu fui na vida queriam ou pintar o meu cabelo de mais claro ou fazer mechas. No,no,no, gosto do meu cabelo pretinho. :)

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Kenia, inteligentemente você me diverte...
Ai ai... acredita que semana passada ouvi da minha quase ex-cabeleleria também um "Nossa suas luzes estão quase desaparecendo, vamos fazer mais?"
Eu, já decidida, "não, não... vou ficar com o pretão mesmo"...

No outro dia, colegas de faculdade, acho que tentando me irritar: "Tati, pintou o cabelo?"
Eu, ironicamente: "De que cor?"
Elas "de preto ué... tá muito escuro teu cabelo"

Nuna, mas nunca mesmo, meu cabelo foi claro... queimado sim, mas nunca claro. Eu ainda tenho que ouvir coisas do tipo "você é branquinha, combina com cabelo claro, ia ficar linda loira"
Aiii... faça-me o favor... sempre tenho que frizar: "Não, não combino, e não pintaria minha sombrancelha"

Posso com isso? Eu guento?

Agora rasgando um pouco a seda... você fica linda de qualquer jeito!

=D

Bjos
Tatiana Mendonça.

Coronel Yanossauro disse...

Eu não seio quanto à "ditadura loura", mas essa praga do alisamento me enlouquece. Quanta mulher de cabelo duro a gente não vê por aí, achando-se a linda de "cabelo liso"?
E, cá entre nós, uma branquinha de cabelo preto é bem mais linda que uma loira azeda, nénão?
Em tempo: Kenia, quero ver fotos, mas já adianto que ficou jótis!

biler

Kenia Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kenia Mello disse...

Ai, gente, assim, com tanto elogio, eu fico pior do que já sou. Hehehehe

Prometo fotos em breve. Mas não esperem grande coisa. Hehehe

Tati, fez bem, você fica linda morena. ;)

Yano, traduza "jótis" do tupi-guarani pra nós. :)

Graça, seja bem-vinda! Fechei no primitivismo, não? Senti-me a própria Pedrita. Hehehe

Marco Y disse...

Te conheço a pouco tempo e sempre achei que vc fosse morena...

As loiras que me desculpem, mas acreditava nisto porque sempre admirei a qualidade dos seus posts...rs

Kenia Mello disse...

Marco, meu passado me condena... Hehehe

rosane ferreira. disse...

é isso aí kenia!! o importante é vc se sentir bem com vc mesmo, e que os outros e o modismo vao para o espaco, bjao!!