quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Viva Sapata!



Depois da quase sapatada em Bush, que lavou a alma de meio mundo mais a metade, gostaria de perguntar a você, leitor(a) angelical do Leite de Cobra: em quem você atiraria seu par de sapatos (chinelo de dedo, tamanco, plataforma, tênis, havaianas etc. etc.)?

18 comentários:

Giovanni Gouveia disse...

Gilmar Mendes, presidente do supremo

reriz

Anônimo disse...

Menina do céu!
Com vc na TPM eu atiro minha sandália em quem vc mandar, porque eu num sou doida rssss
Ou sou?
bj
R.

Repórter Bacurau disse...

Na TPM de Madame Ke!!! Huahuahuahuahau!

Anônimo disse...

eu mandava o sapato pra cima de um bando de políticos.Se eu começar a colocar os nomes não acabo antes do natal...rsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

Paola disse...

Vixe !!!!!!
Hierarquicamente em todos os escalões!

jose luis disse...

aqui no Rio
no Cesar Maia,
e pelas costas
no Brasil,
pqp
haja sapato
no mundo
bem no mundo
no Bush ta' bom
talvez desse tambem
uma chineladinha na Madonna

DJ disse...

Eu dava umas valentes chineladas e atirava muitos sapatos a mim próprio. Simplesmente continuo a não aprender com os erros. Antes de atirar sapatos aos outros, devo começar por atirá-los a mim próprio!

Beijos

Elza disse...

Kenia, linda!!!!

Não sei se jogaria um sapato, afinal nem sou dada a violência, mas sabe quem merecia pelo menos uma "bela" punição? O cara que assaltou Tiaguinho(meu filho de 15 anos). Levou o celular dele. Besteira pq já comprei outro, mas e o susto? Tadinho!! rsrsrsrs

Kaká disse...

No homem que vende pamonha e tapioca aqui na rua aos sábados as 6 da manhã. Ele grita alto demais, eu moro no 5º andar e ainda assim parece que ele está gritando no meu ouvido.

Fatima disse...

Hoje estou atacada ( de novo)!!!
E vou tacar o tamanco na cara do eletrecista que combinou de vir ontem (Quarta-feira) dar manutenção na cerca elétrica daqui de casa e até agora 1615 hs da quinta não apareceu e nem deu uma satisfação e eu anta aqui esperando!

Kenia Mello disse...

Elzinha, seja bem-vinda à caixinha mágica. :)

DJ disse...

Em resposta (ou em pergunta) à Elza, ainda que não tenha sido para mim dirigida a sua resposta:
- para que é que um miúdo com 15 anos precisa de telemóvel (celular)? É uma criança ainda! Vá, eu sei que as tias dele, avós, etc dizem que ele já "está um homem feito", mas na verdade ainda é um adolescente. Não achas que dar telemóveis a crianças e adolescentes é estar a criar oportunidades? É como ir com roupas de marca, jóias e ouro para o meio de uma favela e depois ainda ter vontade de dar um tiro nos ladrões e ficar revoltado porque fomos roubados! Se se criam oportunidades, não chorem mais tarde...

Saudosos cumprimentos

Kenia Mello disse...

DJ, não sou Elzinha, mas vou meter a minha colher no meio (no bom sentido :P).

Assim como aí em Portugal, garotos com 15 anos já vão às festinhas, cinemas e baladinhas amenas. Me corrija se eu estiver errada. Aliás, estou: aqui eles vão a baladonas, das que terminam ao amanhecer com todas as implicações que elas acarretam.

Só que aí, a questão da violência não é tão exacerbada como no Brasil, onde os pais dão celulares para terem uma garantia da segurança dos filhos.

Claro que existe o lado do modismo e da pressão dos pares. Eu, particularmente, acho um absurdo dar celular a uma criança, salvo, claro, determinadas e particulares situações. Dar porque o coleguinha tem é um despropósito.

Você pode até dizer que um adolescente de 15 anos é uma criança, como até disse, e que deixá-los de casa para a escola é uma forma de evitar situações de perigo - isso me lembra aquela do estuprador que só estuprou porque a moça estava de minissaia... -, mas sabemos que isso não corresponde à realidade: não dá para criar os filhos numa redoma, o fato é esse.

Beijo.

DJ disse...

Kénia,

eu fico chocado com o que vejo por aqui. Crianças com 12 anos já participam em orgias e consomem droga. A questão dos telemóveis é outra que me aflige. Aqui vejo pais que dão telemóveis para crianças com 6 anos, quando hoje as escolas já têm meios para controlar a vida toda dos filhos. Por outro lado, os furtos e roubos sucedem-se e acontece outro fenómeno: as crianças trocam os telemóveis por outros de outras crianças ou por outro tipo de bens.

Acho mal e se por um lado não devemos neutralizar as crianças do mundo lá fora, por outro temos que ter cuidado com as portas que lhes abrimos pois podemos colocá-los em situações perigosas desnecessárias.

Beijos

Maurício Alves disse...

Nomes aos bois, ou melhor: alvos preferenciais de uma boa sapatada, com direito à sola na testa, prá machucar bastante:

- Eduardo Azeredo (Senador - PSDB MG)
- Magno Malta (Senador - PR ES)

- Gilmar Mendes, presidente do supremo

Este país está muito totalitário pro meu gosto, e vai ficar ainda mais... Esses cidadãos têm grande participação nisso e, o que é pior, pelo menos um deles ainda por cima decide quem é "mais igual que os outros".

Anônimo disse...

Eu mandava uma botinada no atual patrão do meu marido... Hehehehehe.
Voltando a estória do celular...
Meu filho tem 7 anos e desde o ano passado ele já tem um, tudo bem que não é um novinho em folha e nem foi por escolha dele, que por sinal nem gosta de falar ao telefone. Sempre que a gente vai a algum shopping ou local de maior quantidade de gente eu sempre meti um celular no bolso dele. E acredite, nunca mais ando com ele sem celular.
Vou só contar uma coisinha: fui a um grande supermercado e deixei meu filho com uma amiga, daqui a pouco ela me liga desesperada que Samuel se afastou dela e desapareceu, logo em seguida ele me liga, dizendo que se escondeu da minha amiga e se perdeu, disse que estava perto de tal local e fui lá buscá-lo. Tudo bem que foi uma trela, mas se ele tivesse se perdido mesmo, estaria tranquilo que poderia me ligar. Né não?

Elga

Kenia Mello disse...

Elga, florzinha, como eu disse, celular na mão de criança só em determinadas e particulares situações. Eu, doida como sou, se tivesse passado por uma dessas, faria o mesmo. O que eu acho desnecessário é dar um celular a simplesmente porque o amiguinho tem, por puro consumismo.
Ne não? :)
Beijo.

Marco Y disse...

em todos os políticos que eu for encontrando pelo caminho...