sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Leite de Cobra in concert






O Leite de Cobra foi uma resolução de ano novo. E hoje faz um ano que ela tomou corpo, depois da insistência de alguns amigos em que eu deveria publicar os textos que escrevia. Para o bem e para o mal, estamos aqui. E como está descrito na apresentação, o blog foi se transformando numa colcha de retalhos, que combina de tudo um pouco e de forma bem despretensiosa.

Como vocês já devem ter percebido, não faço tipo: o que escrevo aqui e a maneira como isso acontece refletem quem sou. E isso levou um tempo para acontecer. Mas aí pensei que se eu tivesse um blog no qual eu não tivesse essa liberdade, seria melhor não tê-lo ou escrever sob pseudônimo. E vejo que foi a escolha certa porque o Leite de Cobra passou a ser uma extensão minha, do meus humores, dos meus altos e baixos, enfim, virou um espaço que me reflete.

E ele também é muito importante para mim porque, além de reunir uma boa parte dos meus amigos, ainda me deu oportunidade de conhecer mais gente, na sua grande maioria, bacana. Claro que tem os babacas do tipo de uma que veio aqui me dizer que eu não deveria escrever palavrões, vocês lembram? Ou então figuras que vêm aqui achando que o Leite de Cobra é um espaço legal para ter o seu blog divulgado, mas não é bom o suficiente para ser divulgado por elas...

Aliás, uma coisa que acho pavorosa é essa barganha de adicionar blogs. Eu não peço isso a ninguém. Acho mesquinho, pobre e chato pra cacete. Eu, Kenia, adiciono blogs porque gosto e não quero nada em troca. Se quiser linkar o Leite, beleza, se não...

E sobre o conteúdo, é isso aí. Não tenho nenhuma obrigação social, filosófica ou metafísica de ser politicamente correta. Ponto. Tem ótimos blogs que fazem isso. E eu até posso escrever sobre temas dessa natureza, como já fiz várias vezes, mas sem bandeiras e panfletagens porque isso enche o saco. Repito, quero ter a liberdade de fazer o que me der na telha. E vou continuar em 2009 a falar bobagem, a mostrar os Bofes e Barangas of the week, a escrever textos que, segundo vocês, parecem poesia, a me emputecer com um monte de coisas, a destilar mau humor, a acordar feliz e compartilhar isso com vocês, seja através do humor ácido, seja através de um lirismo piegas. Sabem por quê? Porque sou assim. E pra gostar de mim é preciso gostar das minhas incoerências. Tenho muitos defeitos, mas dentre eles ninguém pode me acusar de hipócrita. Por isso não modero comentários, por isso não comento nos blogs alheios por obrigação, como quem paga pedágio. Por isso que o Leite de Cobra ainda me dá prazer e eu sinto falta quando não escrevo, nem que seja uma leseira qualquer. E vai ser assim até o dia em que esse sentimento durar.

Obrigada a vocês pela amizade. Obrigada por aceitarem meus altos e baixos. Obrigada pela paciência em me aturar. Obrigada por não esperarem de mim o que eu não sou e, principalmente, obrigada por acreditarem em tudo o que escrevo, coisa que nem sempre acontece comigo.

17 comentários:

Giovanni Gouveia disse...

Phoddaa vai ser escrever com a nova grafia da Última Flor do Lácio...

doratoma

Kenia Mello disse...

Gio, ainda estou me acostumando com a ideia. :)

Anônimo disse...

leio vc desde o tempo do flog e fui das q a estimulou a escrever num espaço mais profissional,mais acessível a todos.
Ainda bem q vc parou de relutar e fez o Leite de Cobra q é leitura obrigatória de todos os dias.
Adoro seu humor,seus textos poéticos e as enquetes.Se depender de mim,longa vida ao LdC.

Bjos e []s

Ivette Góis

Beth/Lilás disse...

Ah, Kenia, é disso que gosto - sinceridade acima de tudo.
Venho sempre aqui porque gosto e ponto final.
Continue nesta linha que deu certo e conquistou tantos amigos verdadeiros.
beijos cariocas

Nei Ken iti Schimada disse...

Ja plantado em 2009, LdC em 2010, ever.
Feliz Ano Inteiro!

jose luis disse...

o blog como terapia
que nem eu

silvania lessa disse...

Parabéns ao LdC pelo primeiro ano de vida! E q seja longa porque adoro esse cantinho. :-)

Elaine Bittencourt disse...

Gosto demais do seu jeito vamos-direto-ao-assunto de escrever!
Feliz 2009! =)

Maurício Alves disse...

Você escreve o que bem entende - e o faz bem, Kênia - uma virtude que poucos possuem. Na lata, como deve ser, mas com classe ;) Porém, acompanho o Givanni:
Será duro se adaptar à nova grafia do português...
Ainda pretendo usar trema durante um bom tempo, hehheeheh

[ ]s,
Maurício

André Costa disse...

O Kenia dela já foi reformado, não leva acento!

Kkkkkkk!

Beijão Kenia, continue escrevendo sempre, que eu devezenquando passo por aqui e leio um mói de textos!

Kenia Mello disse...

Gio e Maurício, na verdade, o acordo só passa a ser obrigatório em 2013. Até lá, salvo enganos, ambas as regras podem ser usadas.
Vou continuar a escrever da mesma forma, pelo menos aqui no blog.
E, sim, a saída do trema é o que mais me incomoda.
No entanto, acho a iniciativa de alguns jornais e revistas de já adotar as novas regras bastante válida, pois possibilita a fixação das regras por osmose, vá lá.
Agora, que essa mudança é ridícula, isso é. Totalmente arbitrária. A população deveria ter sido consultada. :P

Kenia Mello disse...

André, como dizem os nossos amigos portugueses, seu aparte foi BESTIAL! Finalmente o povo vai realizar que meu nome NÃO TEM ACENTO! Hehehe
Beijos pra vocês.

DJ disse...

Muitos parabéns pelo tempo em que já cá estás. Torço bastante para que ele se perpetue. Tem um efeito terapêutico por vezes e eu compreendo que o sintas. Passa-se o mesmo comigo.

Já agora, ainda te lembras quem te incentivou a vir para o blogspot? :P

beijos

André Costa disse...

Esclarecendo... pela nova ortografia da língua portuguesa Quênia (ou Quénia) continua sendo acentuado, mas Kenia, que já veio reformulado desde o nascimento (ou registro), nunca foi acentuado!

Anônimo disse...

Sempre que vc escreve algo assim mais intimista (se é que é possível ser mais rsss) algo me chama à atenção e aqui foi "se quiser gostar de mim tem que gostar das minhas incoerências" já que gostar, amar, ter afeto - seja lá o que definam sobre relacionar-se - não significa pensar ou ser de um jeito que agrade ao ego do outro, embora "teoricamente" todo mundo tenha essa consciência.
Enfim...
Já te falei, mas cabe aqui dizer que uma vez minha irmã mais velha, muito culta, MAS(:P) conservadora e radical, depois de longa data esteve comigo numa passagem de anos dessas e trocamos várias figurinhas, atualizamos o papo ao vivo e em cores em meio a muitas risadas -e abobrinhas! o que, de minha parte nunca poderia faltar rsss daí qdo nos despedimos eu falei: desculpaê as nossas diferenças...
Ao que ela, já à porta do elevador se fechando, me surpreendeu com a resposta: ora, são justamente pelas nossas diferenças que eu a admiro!
É isso!
E parabéns por ser assim verdadeira.
Isso me faz admirar vc!
Beijos
R.

Anônimo disse...

ops! é justamente... :P
bj
R.

Luci disse...

como não fiz acôrdo com ninguém, danem-se!
1 ano? ô bebéia, olha qta coisa ai na frente!
beijos
ps: feliz 2009 pra tu!