sexta-feira, 13 de março de 2009



Você prefere ser inteiro ou bom? (K.G. Jung)*


* Não posso assegurar a autoria, no entanto, não deixa de ser uma questão muito interessante. O que você diz?

13 comentários:

Anônimo disse...

passei grande parte da minha vida tentando ser boa,agradar a todos,mas numas voltas dessas q a vida dá,descobri q os outros eram felizes com isso,já eu...
Por isso,optei por ser inteira e se alguém se sentir feliz com isso,estou no lucro.rsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

Anônimo disse...

Sendo inteiros temos a chance de exercer esse atributo (bondade, benignidade) que é inerente a quem é comprometido com o ser humano.
Concordo com a Ivette e tb aconteceu comigo, porém quando se entra no processo de amadurecimento e se vai equilibrando emocionalmente, entende-se que ser bom faz parte de algo mais amplo, sendo um eterno aprendizado, até o fim da vida.
É assim que eu vejo, assim que tento acertar no meu cotidiano.
Tem um texto muito lúcido de um escritor cristão que o título é "bom, bonzinho nunca".
bj
R.

Giovanni Gouveia disse...

Não concordo com a dicotomia...

phroarba

Beth/Lilás disse...

Nossa, que profundo!
A Ivette disse tudo, principalmente para alguém como eu, que já passou dos 'entas', descobrimos o quanto é necessario estar inteiro para ser bom.
bjs cariocas

Lúcia Soares disse...

Ser inteira. Íntegra. Tudo omais vem daí.

DJ disse...

Inteiro! Porque sim! Este mundo não é para anjinhos...

Beijos

silvania lessa disse...

Pois eu acho q ser inteiro muitas vezes exclui ser bom. Prefiro ser inteira. Principalmente pq no mundo de hj, ser bom é sinônimo de ser otário, bobo, as pessoas tendem a identificar o ser bom como fraqueza.
Além do mais, muitas vezes não ser bom, o q não quer dizer ser mal, com alguém, pode impulsioná-la a tentar crescer por seus próprios esforços.

silvania lessa disse...

correção: maU. ;-)

jose luis disse...

bom
se eu for bom eu sou inteiro

André Costa disse...

Por que não dá pra ser inteiramente bom?

Procuro ser bom, dentro dos meus princípios. Como não sou santo, estou sempre falhando, mas sempre tentando melhorar.

Acho que a melhor política no relacionamento humano é se colocar na posição do outro.

Crysthine disse...

Eu prefiro ser boa...quem sabe ótima! heheehe
Ser inteira significaria ser completa e eu quero ter sempre algo a me acrescentar.

Beijoss

Luci disse...

uma coisa não exclue a outra.
mas te garanto, melhor ser inteirmente boa....rs!
bj

Nei Ken iti Schimada disse...

Eu sou péssimo.
E meio ruim o que não quer dizer quase bom.