quinta-feira, 7 de maio de 2009

Notinha de esclarecimento



No post de ontem, não me referia aos políticos de carteirinha e às chuvas do NE. Estava, umbilicalmente centrada, falando em outro tipo de cerumano, político por natureza, mas não por profissão, aqueles de quem, por um motivo ou por outro, a gente depende, por mais ativos, altaneiros, empreendedores, virados na febre tifóide que sejamos. Sim, tem coisas que não dependem do nosso aguerrido esforço, mas, sim, da boa vontade alheia. Era a isso que eu me referia. E antes que chegue alguém dizendo que eu reclamo de barriga cheia, já mando, de antemão, à merda. Porque o fato de eu ter feito uma viagem muito legal, com zero de incidentes, tudo nos conformes e até além do esperado, não anula a existência de milhões de pepinos na volta e ter também de lidar com atitudes de pessoas que eu, estando no lugar delas, jamais tomaria. Simples. Além do mais, está na minha natureza reclamar. E muito. E ainda vou reclamar mais até a minha chateação passar. Melhor assim do que voar no pescoço de alguém, concordam? E tenho dito.

8 comentários:

Anônimo disse...

cada um sabe do seu cada qual...
Eu voto pela absolvição do pescoço da tal criatura.rsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

Giovanni Gouveia disse...

Mas acerta, com precisão, na veia jugular...

anglyz

Fatima disse...

Entendiiiiiiii!

Repórter Bacurau disse...

Já tava com saudade dessas pegadas de ar... hehehee

A programação normal está de volta!

jose luis disse...

apoiada

Anônimo disse...

Sempre existirão os incomodados. Seja quem você é, e quando achar que é hora de mudar, mude.
Bjs
SMaria Sidérya

Punksauro Nei disse...

Nem pira, dear Kenia, quem reclama de barriga cheia, reclama melhor.

E outra, você não reclamou de barriga cheia. Reclamou a verdade.

Besos

João Eurico disse...

Mas o que tá pegando ? O gato subiu no telhado e esqueceram de mandar o telegrama ? Conhece essa história ?