quarta-feira, 18 de maio de 2011

Por isso corro demais...



Desde o final de novembro que eu tinha parado de correr por conta do frio, lembram? Pois é. No mês passado, com a temperatura subindo, retomei a atividade física, inclusive porque nesses meses parada houve consequências: três quilos a mais e algumas roupas já dando sinal de alerta máximo -- felizmente eu estava bem magrinha antes da esbórnia, daí a bagaceira não ter sido total...

Pois bem, recomecei fazendo caminhadas de uma hora, em ritmo forte, com bastante alongamento antes e depois, para dar uma recondicionada e poder voltar a correr. Há quase três semanas consegui e já estou sentindo a diferença! Corrida é tudo de bom, tonifica e enrijece a parte inferior do corpo, favorece a concentração (equaciono mil problemas durante o exercício), dá uma sensação de bem-estar incrível (durante e depois, viva a endorfina!) e, de quebra, acelera a perda de peso que é uma beleza. Outra vantagem adicional é poder desfrutar desta estação maravilhosa:



Um verdadeiro privilégio mesmo!


Sim, porque depois de anos me exercitando em academia e apesar de continuar amando musculação, estou numa fase totalmente outdoors activities! Por conta disso, escolhi o Penbos, aqui em Diemen, para uma parte do meu percurso:






Como o Penbos é bem pequeno, já estou começando a enjoar. Semana que vem, vou para o Diemerbos, também pertinho daqui de casa, e bem maior:



E faço essas trilhas sozinha, de manhã cedo, na boa. Tudo deserto, só o canto dos pássaros, o barulho dos patinhos e tal. Uma das vantagens de morar fora da Randstad (as quatro maiores cidades da Holanda: Amsterdam, Rotterdam, Den Haag e Utrecht) é esse sossego. Claro que os muitos anos de condicionamento no Brasil me fazem dar uma tremida nos trechos mais sombrios, mesmo porque ficar completamente desligada não faz parte da minha natureza, mas só a grande probabilidade de eu não ser assaltada/estuprada/assassinada me deixa muito feliz e certa de que fiz a melhor escolha, não só mudando de país, mas também de ter vindo morar numa cidade de 24 mil habitantes.

Voltando à corrida e à diferança que já consigo sentir (uma calça jeans que adoro, a qual estava apertadíssima, já dá sinais de folga), credito também essa rapidez ao fato de eu ter cortando as muitas besteirinhas que andava comendo: chocolate é uma delas. Nos lanches, tenho substituído o bendito, as tortas, os cookies e demais delícias, por frutas, inclusive porque o tempo é dos morangos holandeses, dulcíssimos, cerejas, ameixas etc. E, sim, muita água. No fim de semana, dá-se uma relaxada, claro.

Mesmo sendo a corrida uma atividade super indicada para a perda de peso e para o bem-estar, é imprescindível procurar um médico para os exames necessários, e um bom profissional na área de educação física para as devidas orientações. Depois disso, é só curtir, os resultados são consequência.


5 comentários:

Ivette disse...

Tô gostando de ver! Se eu tivesse coluna e joelho pra isso, encarav porque preciso perder peso tb e mais do que 3kg. rsrsrsrs

Bjos e []s

Simone Westerduin disse...

Kenia eu me recuso a ficar enfiada em uma academia quando o tempo esta bom lá fora, a paisagem é linda e tem tanto lugar pra legal pra se exercitar, mesmo em Den haag que é maiorzinha tem parques por todos os lados, eu moro em um lugar privilegiado pra esportes, só corro pra academia no inverno mesmo.
beijao

Kenia Mello disse...

Pois é, Ivette, tem de estar com tudo direitinho pra poder correr. Mas você pode fazer outras atividades que inclusive podem ajudar esses problemas de coluna e de joelho, o lance é não ficar parada, perder peso é consequência.
Beijos.

Simone, em Recife, eu só corria na esteira quando estava ou chovendo ou a preguiça era maior: a academia era do lado de casa. Mas, nos últimos tempos, eu corria na praia, no calçadão. Sempre achei melhor correr ao ar livre, em Sampa, morava pertinho do Ibirapuera (na Abílio Soares) e ia pra lá. Correr em trilha, mato mesmo, aqui está sendo a primeira vez, mesmo porque aqui em Diemen não tem parques do tipo do Oosterpark, em Amsterdam, por exemplo, daí que me dano nos bosques mesmo. Daqui a pouco estou indo. :)
Beijos.

Rydi disse...

No Brasil eu era uma rata de academia, vim pra cá e virei uma rata de sofá XD. Pago o abonamento na academia e passo meses sem pôr os pés por lá. Foi quando tive a excelente idéia de ir correr de vez em quando, me ajudou muito, mas agora na correria do dia-dia, a correria de malhação já tá abandonada de novo:/

Kenia Mello disse...

Rydi, o bom da corrida ao ar livre é que você pode aproveitar qualquer horário livre, o lance é não ficar parada. ;)
Beijo.