segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Pavor

Foi um sonho medonho/Desses que às vezes a gente sonha/E baba na fronha/E se urina toda/E quer sufocar... (Chico Buarque)



Na madrugada de sábado, tive um sonho pavoroso.
Estava com a minha filha numa feirinha de artesanato, parecida com a do Alto da Sé, olhando algumas coisas numa barraca. Ela estava abaixada pegando uns copinhos, e eu, perto, olhando algo no tabuleiro.

Por uma questão de segundos, desviei meus olhos de Mariana e quando voltei, ela não estava mais. Comecei a procurá-la, mas eu sabia que ela não tinha se afastado, mas fora levada por alguém. Gritei seu nome várias vezes. Com desespero e medo, com uma dor profunda e avassaladora.

Acordei gelada, exausta, meio morta. Na mesma hora, pulei da cama e fui pro quarto dela. Ela em paz e descoberta. Serena, com a expressão que só as crianças conseguem ter quando dormem. Cobri seu corpinho, afaguei o cabelo e beijei sua bochechinha corada. Ela, instintivamente, virou de lado, abraçando a boneca.

Estávamos a salvo.

5 comentários:

Anônimo disse...

Vc tem a sorte de ir no quarto e ver sua filha dormir.Eu tb tenho essa sorte,apesar de precisar ir à casa de cada um deles para fazê-lo.
Fico pensando nas mães q perderam essa possibilidade...

Bjos e []s

Ivette Góis

Olaf disse...

OI Kenia, que blog mais interessante voce abriu! Adoro seu estilo, leve e direto! Parabens!

Sweet! disse...

Já vivi esse pesadelo.
Uma vez Clara se perdeu de nós na praia, por 10 minutos.
Ai, melhor nem lembrar.

DJ disse...

Imagino o pavor com esse pesadelo :(
Não te gabo a sorte, amiga!

Beijos!

Luciana Farias disse...

afff... eu morro de medo... mas o pior de tudo é que ano passado tive que começar a cortar as amarras, tirar a minha Juju de debaixo das minhas asas. Nossa, nunca pensei que fosse tão difícil, rsrsrsrs...

Beijão!!!