quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Let him rest in peace



Gente, essa especulação toda em torno da causa da morte do ator já está enchendo a paciência.
Uma hora é suicídio. Outra, overdose por drogas ilícitas. Outra, acidente. Acharam pó branco numa cédula de 20 dólares. Examinaram o pó. Não era cocaína.
A autópsia não foi conclusiva, só daqui a mais de uma semana. E a boataria comendo no centro...

Como se não bastasse a perda tremenda -- pra família, pra filhinha de dois anos e pros amigos e aqui nem incluo fãs porque amanhã com certeza outro ator bonitão será a bola da vez e estará ocupando o imaginário e a falta de ocupação de muitos --, a mídia fica reservando espaço demais, tempo demais para uma coisa irreversível. Essa avidez me cansa. Deixem o rapaz descansar em paz, o fato é que ele morreu e pronto, ora. Já tem até igreja homofóbica nos EUA que vai fazer piquete no velório do rapaz por causa do personagem que ele interpretou em Brokeback Mountain... É patifaria de tudo quanto é lado. E o povo fuçando e escarafunchando podres, desajustes e problemas do cara.

Particularmente, acho que a morte dele foi um acidente, uma infeliz combinação de bebida ou outra droga qualquer com as bolinhas ou mesmo a mistura delas entre si. E tudo com receita médica.
Fico me perguntando se esses médicos não costumam prevenir seus pacientes, que pagam pelas consultas o equivalente ao seu peso em Hollywood, sobre a possibilidade de uma overdose misturando isso com aquilo outro. Ou se é mesmo a onipotência desse povo que acha que nada pode atingi-los. Eu, que até me acho razoavelmente esclarecida com relação a medicamentos, quando a dor de cabeça da ressaca aperta, costumo mandar paracetamol pra dentro sem estar nem aí para o fato do álcool mais essa substância poderem me causar um dano fenomenal...

Especula-se que o seu último personagem, o Curinga, do próximo filme do Batman, tenha mexido com Ledger por ser um tipo do mal, com uma energia pra lá de Bagdá, Faluja e adjacências. E nisso a dificuldade de se desvencilhar desse universo tenha afetado o equilíbrio emocional do ator. Ele inclusive declarou que estava dormindo pouquíssimo e recorrendo a remédios por causa da ansiedade dessa nova empreitada.
Acho que tudo piorou e terminou por aí.
Muito ator veterano, quando encarna personagens fortes, densos, não-lineares, tem dificuldade de deixá-los de fora de sua vida pessoal ao sair do set. Anos e anos de experiência amenizam essa passagem diária de um universo para o outro.
E Ledger tinha apenas 28 anos. Talentoso, bonito, dono de uma interpretação marcante. Mas jovem demais, inexperiente demais, verde demais para esses labirintos todos. E sozinho também porque se não estivesse cercado de gente estúpida e deslumbrada com o próprio sucesso ou com o dele, certamente o teriam aconselhado a procurar ajuda profissional e nada disso talvez tivesse acontecido.

O que me dá pena mesmo é a filhinha dele, que pouco saberá do pai exceto pelos relatos dos seus familiares e pela mídia que com certeza ainda trará à tona muita coisa desnecessária.

5 comentários:

DJ disse...

Kénia!!! Finalmente!! Viva o blogger! Andei um pouco desligado até saber que afinal... tu estás no blogger! Que tal a diferença para o fotolog? Não te sentes mais... livre? Podes colocar as fotos que queres, quantas vezes quiseres, escrever quando e como quiseres!

Um beijo grande! Serei, a partir de hoje, leitor assíduo e colocarei a publicidade ao teu blog nos meus! :)))

Anônimo disse...

É verdade como estão esmiuçando a vida desse rapaz,desenterrando coisas,deduzindo outras...
O seu post traz um pouco de lucidez pra esse evento todo. Parabéns!

Bjos e []s

Ivette Góis

Anônimo disse...

Menina, eu nem sabia e só lamento e peço a Deus que conforte o coração dos q o amavam de verdade.
Ando numa correria nessa mais nova função de "vobá" e mesmo depois de quase três meses de mudança radical ainda estamos todos em adaptação.
Mas é sempre bom saber as notícias por aqui, já que vez por outra qdo venho dar uma espiada nas msgs e blogar algo corrido, leio o teu pois gosto do teu estilo além de amar sua pessoa e afins rssss.
Beijo grande

jcjunior disse...

OI, Kenia!
Também acho que foi acidente a causa da morte do rapaz. Acho, também, que tu disseste a coisa certa no momento certo, querida!
Parabéns. Seus textos são ótimos de se ler!
Beijão, fia!

Expedito Paz disse...

Perfeito, Kenia! Também acho que a morte dele foi acidental. E pra quem acha que só a mídia brasileira que é sensacionalista, tinha que ver os canais americanos (especialmente a Fox News) nos dias posteriores à morte do Heath... a nossa "Márcia", da Band, perdia em baixo nível.

Que ele descanse em paz e que seu pequeno, mas importante legado fique eterno.