quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Mini Miss Mundo



Eu, como mãe de uma menina, não poderia deixar passar a notícia desse concurso em branco. Mesmo sabendo que em muitos casos a família toda incentiva a loucura, infelizmente, na maioria das vezes, é da mãe que parte a obsessão em transformar a criança em celebridade - modelo, atriz ou tudo ao mesmo tempo agora, como diriam os Titãs.

E dá um dó olhar essas meninas maquiadas, vestidas como adultas e, o pior, com olhares, gestos e poses de mulheres feitas. Não deixo de pensar no que foi a minha infância e no que nós, remando contra a maré, tentamos fazer para que Mariana tenha uma infância normal também, na qual ela possa brincar, descobrir o mundo e fantasiar... como criança. E não é fácil, não, porque os apelos, os mas a mãe de fulaninha deixa e mesmo as críticas, vindo de onde menos esperamos, parecem estar sempre à espreita. No fim, sou eu quem vê chifre em cabeça de cavalo, quem quer colocar a menina numa redoma perfeita e mais outras tantas pérolas que já tive de ouvir. Mas no dia que acontece qualquer coisa, de quem é a culpa? Para o mal, sempre, da mãe. Para o bem, ah, aí tem muita gente que se intitula co-autora.

Voltando à questão do concurso, só posso concluir que uma mãe que submete sua filha a horas e horas de espera para fazer um reles teste, que acha o máximo a criança papagaiada de adulta, vestida e maquiada como tal apenas para aparecer dez segundos num comercial de supermercado de bairro ou, na melhor das hipóteses e dos devaneios, numa ponta da novela das 6 ou seja de que horário for, só pode ser muito estúpida.

Não vêem nada de mais em incutir numa criança, desde a primeira infância, um estilo de vida que privilegia unicamente a aparência. E a grana, claro. Crescem menininhas chatas, preocupadas com futilidades, com a marca da roupa, com a necessidade de serem sempre as mais populares, bonitas, enfim, aquele modelo de mulherzinha sobre o qual eu já tinha falado aqui e que me causa bastante aversão.

São mulheres que vivem completamente fora da realidade, que não lêem jornais e não vêem (ou fingem) como é crescente o número de casos de abusos sexuais contra crianças. Que preferem ignorar que a internet e os demais meios de comunicação exigem atenção redobrada porque uma criança sem supervisão é presa fácil tanto para o consumo desenfreado quanto, no pior dos casos, para o assédio moral e sexual.

Muitas vezes, um sonho frustrado é o que impulsiona uma mãe dessas. Já que não pôde ser modelo/atriz/apresentadora/BBB/mãe de filho de jogador de futebol, canaliza todos os esforços, se necessário passa até fome para garantir o sucesso da filha. Depois, quando ela ficar velha para a passarela, pode decidir o que fazer da vida, foi a resposta que uma mãe deu numa entrevista que li há um tempo, quando a repórter perguntou sobre o futuro de uma menina que tentava a sorte como modelo. Uma maravilha, não?

Não vou nem me atrever a falar em estudo, em ter uma carreira de gente normal porque isso é coisa de classe média ou de quem pensa pequeno, não é, gente? O bom mesmo é a fama, o glamour, o mundo das celebridades. Caso de internação psiquiátrica, isso sim.





Essa cena é uma verdadeira banana na cara desse mundinho fake.

37 comentários:

Pernambucobebendoparaomundo disse...

Sem falar nos casos de anorexia e bulimia, e outras tantas neuroses geradas por essa obsessão de corpo e cara perfeitos, ilusão de vitrine...

Jesus Cristo denominou bem esse tipo de comportamento: Sepulcro Caiado;

Essa é a sociedade que querem impor.

Amei minha infância ralada de quedas, lambuzado de terra, roubando frutas, fazendo carrinho de lata e de rolimã, empinando papagaio, rodando pião, jogando bola... Não sei se Danton terá mesma sorte, mas vou fazer das tripas coração pra garanti-lhe uma infância saudável...

xommoad

Anônimo disse...

acho um absurdo essa loucura toda q termina roubando a infância e a inocência das crianças.
O q tb não entra na minha cabeça é como os pais permitem,q valores passam para os filhos,enfim,é triste e indignante ao mesmo tempo.

Bjos e []s

Ivette Góis

jcjunior disse...

E o pior é que muitas dessas "mães estúpidas"(adorei!), depois vivem a dizer que o governo e o Estado devem censurar programas de TV porque os filhinhos não podem ver isso ou aquilo. Muito pior elas fazem, obrigando as filhas a serem o que ainda não são e apapagaiando as pobres crianças.

Lilás disse...

Você chamou de estúpidas, concordo, mas completo com babacas, burras, ignorantes, gente sem noção, sem berço e tantos outros adjetivos que cabem à pais (homens também) que incentivam as filhas por este caminho tão supérfluo.
Como você bem o disse, a classe média neste ponto é mais pé no chão, sabe que precisa do estudo para ser alguém na vida, no futuro, mas a classe pobre ou até a rica, deixam isso acontecer sem o mínimo pudor.
Minha infância também foi pontuada de brincadeiras lúdicas, criativas sem maldades e procurei dar ao meu filho isto também. O resultado vejo nos olhos dele, pois até hoje ele um ser humano feliz, cabeça boa e isto é o que interessa.
beijos cariocas

Sweet! disse...

Ah, essa cena é o máximo.

Nei Ken iti disse...

Sim, esteticamente e' pavoroso. Eticamente chuta a cara da infancia.

Mas ha meninos que correm de kart e outros que saltam de motocross e tudo mais.

Nao e' bmx, e' moto mesmo.

Eticamente, tem gente que quer ter um Ronaldinho em casa, ou um Caique sei la ou a Stefhanee mina do Alex Pato.

Tem pai que bota o filho pra ser estatistica vendendo bala no semafaro.

Falar nisso, aqui no Japao conheci um recifense que nasceu na Avenida Casa Amarela, confere?

Nei Ken iti disse...

O falar nisso entre menino no semafaro e a avenida recifense nao refere-se a estatistica, mas a coisa e conjunto urbano de semafaro e avenida,
ufa.

Kenia Mello disse...

Nei, o recifense que você conheceu é do bairro de Casa Amarela. :)
Güenta mão que daqui a pouco comento o seu comentário dos meninos e suas máquinas voadoras, semáforos, Ronaldinhos e que tais.
Beijo.

Repórter Bacurau disse...

É o retrato da insanidade dos valores do nosso tempo.

É a obsessão pela competitividade, eficiência, produtividade, status, sucesso, fama, etc.

Kenia Mello disse...

Tô ligada, Nei, não vi nenhuma intenção sua de relacionar o menino do semáforo com o bairro recifense - e mesmo se tivesse, não estaria errado, não, é o que mais se vê...

Sobre a questão que você levantou, o ponto a que me refiro não se resume apenas à apropriação indevida da infância das meninas. Calhou de aparecer esse concurso e ele virar mote pro post.

O que verdadeiramente me angustia é o tirar a oportunidade de uma criança de ser criança. Seja em esportes competitivos, seja em concursos de beleza, TV e afins. É alguém (o mais triste: a família) incutir num menino ou menina, ainda na primeira infância, que ele/ela não pode comer, viver, sonhar, brincar, pensar, agir como uma criança.

É queimar uma etapa que é fundamental na vida de uma pessoa para que ela se torne um adulto minimamente equilibrado.

Claro que levar esse raciocínio ao pé da letra privaria um país de, por exemplo, ter atletas, ídolos e tudo mais. E é nessas horas que eu penso que é melhor ser uma pessoa comum, de talento mediano, porque tê-lo em demasia pode ser uma dádiva, mas também uma perdição.

Não sei se você pensou em alguma correlação, mas eu fiz um gancho com essa possibilidade: mesmo a balança desequilibrando para o lado negativo, é bem melhor uma criança ser estatística nos esportes competitivos, por exemplo, do que num semáforo esmolando. Mas essa comparação é tendenciosa.

E o fato de um pai (ou mãe) sonhar em ter um Ronaldinho ou uma futura Gisele Bündchen em casa e fazer disso um projeto de vida é um sintoma de que há algo de podre no reino da Dinamarca...

Beijo.

Patricia Daltro disse...

Durante minha gravidez, ouvi váaarias vezes a piada: " coloca na frente dele uma bola e um pandeiro, se pegar a bola bota para ser jogador de futebol, se segurar o pandeiro, vira pagodeiro" piada aparentemente inofensiva, mas que retrata bem uma visão de que o filho TEM que ser alguma coisa que renda dinheiro! Os pais não deram certo? Então vamos garantir que os filhos trilhem o caminho da grana, impondo-lhes valores que não fazem parte da infância. Corujice a parte, meu filho é uma criança que chama a atenção e volta e meia me perguntam por que eu não levo a uma agência de modelos infantis, eu sempre respondo, que quando ele crescer, se ELE QUISER, ele vai com suas próprias pernas, da minha parte, quero garantir a ele, uma infância de joelhos ralados, muros escalados, carrinhos feitos de carretel de linha (é, eu faço isso para ele, rs) e muita, muita alegria. Crado, escrevi horrores! Desculpe-me. rs

Kenia Mello disse...

Patrícia, fique à vontade que todo mundo fala muito por aqui, a começar por mim. ;)
Beijos.

Ivan Moraes Filho disse...

Kenia,

Show de comentário, arrematado com um show de filme.

Eu sei, como você sabe, que essa briga nossa é pra lá de injusta.

E tb sei, como vc sabe, que só nos resta continuar brigando.
abç

josue mendonca disse...

olá...
obrigado pela visita
gostei de seu blog..da linguagem, das reflexões..
com certeza estarei sempre vindo aqui dar uma espiada
morei até os 20 anos em PE. que legal vc morar nessa terrinha que sinto tanta saudade..
grande abraço
ah, concordo plenamente que as crianças hoje tão muito adultazinhas..
esse mundo tá de pernas por ar!

Jôka P. disse...

Acho lindos esses concursos !
Se eu tivesse uma filha ela seria nini-miss na certa !

Nei Ken iti disse...

LEgal, em SP tem o Bairro da Casa Verde, ao lado do Limao.

Em Hamamatsu tem o BAirro Nasubi, berinjela.

Nas cores, tem o Akaike, Nivel Vermelho, ou proximo disso.

Bobagens geograficas.

Kenia Mello disse...

Jôka, pois eu acho que quem deveria ser Mister é você porque você é lindo! :)

Nei, aqui em Recife os nomes dos bairros são bem originais também: Aflitos, Afogados, Torre, Casa Forte, Barro, Curado, Linha do Tiro e por aí vai.
Beijo.

llauriti disse...

Gustaria de parabenizar pela reportagem, mas creio q no podemos generalisar.
Penso q, primero debemos conozcer, saber, pk li otras entrevistas e esta menina, estud en una escola particular, ten una babá,segoda las mestres da escola, elaé una das melhores alunas da clase,mesdmo sendo una menina rica e s de un bueno corazon, e segue los passo dos pais, na pascoa dia da criança,natal doando roupas brinquedos aos menos favorecidos,os pais son personas muy esclarecidas,formados,grandes mpresarios, e que mismo tendo motoristas,facen questao de um leva na escuela e lo otro busca, e q a menina pareceume mucho madura con personalidad muy fuerte, e de principios religiosos, muy claros.Entonces penso q muchos comentarios no dejam de ser buenos,gran alertas a muchas mães, mas tenemosq preocuparnos mas es con los padres q matam, padres q ,principalmente nas regiões nordeste,norte do Brazil, obrigam sus fillos a prosttuiremse, eso si e que devemos preocupar-nos,otros fracendo os fillos roubarem,enfin una serie de atrocidades q inducen as crianças.
Perdonemme pero este e meu pensamiento e tengo certeza de muchas mães.Penso q, ao colocarmos una foto de una menina linda como esta en site e las personas si quedarem analisando dando pitacos,sen saber como é la vida dela,asi eso si, é que debia ser proibido estão expondo una menina delcinco años ,como si ela e los padres tuviesen cometido o maior crime,qdo no es verdad, penso q deberia ser analisado entonces por personas, profisionales,abalisadas, e no nos personas comuns, vamos canalisar esta nuestra buena vontad en ajudar las crianças, expondo ,crianças en la rua,prostiuitose,pedindo pasando necessidads,mães q matam,crianças orien del fome,salud,del frio.
Esta es mi opinião.LLauriti (Estan expondo una foto da menina, como si fuera ,una bandida, cuidado penso q eso no es cierto,perdoneme)

Kenia Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Coronel Yanossauro disse...

Madama,
Quando passou outro dia no Fantástico uma reportagem de Maurício Kubrusli (acho que errei a grafia, então por favor me corrijam) sobre o concurso de Miss Brasil Mirim, fiquei, assim como minha família e esposa, chocado. Crianças que, ao invés de estarem brincando de bonecas, passam a noite em claro se maquiando só poderão vir a ser crianças com algum problema emocional no futuro. Pais que expõe crianças de 5, 6, 7 anos à molestação sexual (aliás, à sexualização precoce) e (talvez) futura prostituição só podem ser desajustados, ou pior.
Em um de meus livros favoritos de Erico Verissimo, um dos que fazem a série de Clarissa, existe uma criança que, aos 10 anos, canta no rádio com requebres e ademames adultos cantigas sensuais. Erico (o narrador) prediz: Aos 12 anos perderá a virgindade intelectual. Aos 13, 14 algum colega do rádio se encarregará de terminar o serviço. É isto o que acontecerá com essas crianças. Infelizmente.
Gostei da lembrança dos meninos em esportes competitivos. Tambem fiquei igualmente chocado ao ver em uma reportagem do Esporte Espetacular meninos brincando de carrinho ao lado de uma pista de terra. Em determinado momento os alto-falantes chamam uma bateria, os pais carregam os meninos para longe da brincadeira, alguns chorando, e logo se vê eles com armaduras de plástico pilotando motocicletas em saltos maiores do que a altura dos meninos. Se uma queda dessa altura já é ruim para um adulto, fico em perguntando o que seria para uma criança de 5 anos...
Outro dia, nas Olim...piadas de Beijin, um judoca brasileiro, ao perder as chances de conquistar o ouro, desmanchou-se em lágrimas pedindo desculpas ao pai...
Imagino o que esse pai não fez com o filho para que, homem feito, de 20 e tantos anos, ele ainda tenha pedido perdão por não ter ganho o maior título mundial de sua categoria.
Acho que fui abençoado, pois, embora tenha praticado esportes desde cedo, nunca meus pais me forçaram a nada, aliás chegaram a me retirar de competições e até mesmo de esportes quando viram que estava ficando sério demais.
Esta é a lição que nós, eu e minha querida esposa, pretendemos passar para os nossos filhos: Sejam crianças na hora de serem crianças, e adultos quando chegar a hora.
Beijo!
yevqqwng

Coronel Yanossauro disse...

Em tempo:

Como não leio em portunhol, e muito menos textos cheios de erros e IRCês, ignorei o comentário vindo de Santa Maria.

zxsyk

Anônimo disse...

Eu acho que as pessoas deveriam ler e aprender um pouco mais sobre eventos e concursos como estes, onde as crianças participam de forma extremamente infantil.
Para que não tem conhecimento, deveria aprender com reporter de fundamento como os do SBT, da Rede TV!, e da revista VEJA.
Pessoas inteligentes que não falam o que não sabem...
Sou a mãe da Miss e tenho muito orgulho da minha filha, pois além de linda, ela é inteligente e amada.Além do mais, quando falam que não sou inteligente, saibam que eu sou empresária(bem sucedida), o que prova que jamais precisaria explorar minha pequena,também sou colunista do jornal A Razão, etenho um site, além do mais sou formada em dois cursos superiores e faço pós graduação.Qualquer dúvida quanto às minhas condições financeiras ou psicológicas podem entrar em contato comigo. Desde já agradeço às pessoas que fazem das notícias uma verdade, nós cidadãos não estamos precisando de opiniões alheias e sim de matérias bem fundamentadas e obviamente veridicas.

Gabrielle disse...

Gostaria de deixar registrado aqui, para aqueles que comentaram certos tipos de "imoralidades' sobre os concursos infantis, que estes deveriam ter maior conhecimento, e saber que os concursos são lindos!! e as crianças curtem, participam, gostam mesmo de estarem presentes!!
Estive participando em Salvador-BA no Miss Brasil com minha filha e não tiro o merecimento da Natália em ter ganhado tal concurso!!
Só acho que a comissão deveria impor regras, justamente para que não haja certos tipos de exagero!! pois as vezes, as mães por quererem tanto que as filhas ganhem o concurso, acabam fazendo coisas descabidas!! e realmente passando dos limites no que se refere a imagem infantil!! Havendo regras isso tudo mudaria!!
Criança tem que ser criança!! tem que ser natural!! a beleza natural que tem que estar em jogo!! não uma beleza montada(lembro aqui, que citei que não tiro o merecimento da Natalia de seu título)!
Realmente a Daniela, procurou fazer muito pela filha, e acabou pecando pelo excesso!! Mas como falei, isso é culpa da falta de regras!! fazer o que!!
Acho que agora as pessoas pensaram mais, devido a todos esses comentários existentes.
Quanto aos testes de agências, cito aqui, que não aceitam em hipótese nenhuma, maquiagem de qualquer tipo, até mesmo um gloss, meninas de salto nem são notadas pelos produtores!! pois estes procuram crianças com cara de crianças e não mini adultas!!
Portanto, acho que os comentários aqui são válidos!! mas acredito que as pessoas que comentaram poderiam ao menos estudar, analisar os fatos, antes de criticar em massa e generalizar um fato.
Estou disponível para qualquer esclarecimento sobre concursos ou testes de crianças em agências e produtoras, a quem possa interessar!!
Abraços.

Kenia Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kenia Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kenia Mello disse...

Gabrielle, sua postura sobre a infância é muito contraditória. Você afirma que criança tem de ser criança, não é? E desde quando concurso de beleza é coisa de criança? Desde quando é natural uma criança, por mais que você diga o contrário sobre regras de concursos e agências, ter de deixar de brincar, fazer atividades compatíveis com a infância a ficar exposta de uma maneira que apenas a um adulto seria conveniente?
Sou mãe de uma menina de quase cinco anos, já alfabetizada (desde os 4 anos e meio) e linda. Mas sequer me passa pela cabeça essa neura de concurso, de exibição. Aí eu lhe digo: criança tem de ser criança!
Você ainda sugere que devemos estudar e analisar esse universo paralelo. Já eu lhe respondo que aqui o povo costuma estar, sim, e muito, mas coisas que mereçam atenção e valham a pena.
Abraço.

Kenia Mello disse...

Onde escrito: povo costuma estar, leia-se: o povo costuma estudar.

gabrielle disse...

Cara Kenia,
Não é contraditório não, visto que, em concursos infantis, somente é apreciado a beleza infantil e a passarela!! Não existe uma disciplina acirrada, nem uma exigência por conceitos de beleza!! Existem sim, casos isolados como o da Natália.
Agora, comparo aqui os concursos com campeonatos de natação, ginástica olímpica, etc... onde as crianças são realmente cobradas!! e que pode ser uma profissão num futuro próximo!
Quando participamos de concursos, as crianças se vestem lindamente, como se vestiriam em seus aniversários, ou em um debut, a diferença é que desfilam nas passarelas, e afirmo aqui, que as que participam, adoram isso! vêem na TV e querem fazer o mesmo!! o que pode futuramente também se tornar uma profissão!!
Friso novamente, que existem excessões, pois eu mesma já presenciei uma menina entrar na passarela chorando porque a mãe impôs que ela desfilasse!! isso realmente é um absurdo!! Minha filha por exemplo, com 4 anos, participou do Miss Brasil, e quando perguntaram para ela se ela ficaria triste se não ganhasse, ela respondeu: não fico não, minha família me ama de qualquer jeito, ano que vem eu venho denovo! nem por isso ela deixou de brincar durante todo o concurso!! ela desfilou sim, por poucos segundos na passarela, mas nos dias anteriores, brincou com todas as meninas totalmente a vontade, portanto ela não deixou de brincar em momento nenhum!!foi uma curtição, uma diversão!
Agora, quanto a vc não colocar sua filha em uma agência ou coisa parecida, eu respeito sua vontade, pois somos donos da educação que damos a nossos filhos, e ao nosso ver, o que fazemos é certo!! mas não podemos ficar simplesmente criticando a existência disso ou daquilo! Tem uma reportagem no google de uma psicólogo que cita, que tudo o que uma criança faz é válido até mesmo participar de concursos infantis, pois isso aumenta o grau de competitividade que fará com que essa criança tenha maior vontade de crescer na vida!! o que não pode é o exagero!! E como falei anteriormente, a mãe da Natália pecou sim, e muito, no exagero!! nem de longe é normal, fazer luzes, bronzeamento artificial e colocar apliques em crianças!!
Mas acredito que a partir daí ela mesma irá repensar no que fez, pois a polêmica que gerou não foi nada positiva para ela e nem para a filha!!
Acredito eu, que se ela tivesse estado no concurso, tanto nacional quanto no internacional de forma natural, teria ganho e teria tido muito mais repercussão favorável do que aparecer como uma boneca barbie, montada!
Bem, essa é a minha opinião!!
Mas é discutindo que se entende! rs..
Abraços

Kenia Mello disse...

Gabrielle, querida, me diz uma coisa: qual é a necessidade que há em se apreciar a beleza infantil em concursos? Não basta a uma mãe ou a pai ter a beleza dos seus filhos apreciada e reconhecida em baixa escala, ou seja, apenas por eles, seus familiares e amigos? O que move, na sua opinião, uma pessoa a levar uma filha para um concurso de beleza? Por que o ambiente é lúdico? Por que ela pode brincar e se divertir? Por que essa fixação com a beleza de uma criança? Que barato é esse que dá na cabeça de uma mãe para perseguir um objetivo
desses? Eu sei algumas boas explicações, mas me surpreenda, me diga alguma coisa que faça com que eu seja iluminada e remetida a uma perspectiva diferente. Tenta me explicar que eu prometo não ser burrinha e me esforçar para entender.
Também desaprovo esses esportes competitivos, que tratam as crianças como escravas, submetendo-as a cobranças severas. Como disse anteriormente, minha posição é a favor da infância e isso me dispensa de mais comentários, não é?
Por outro lado, Gabrielle, quando você me diz que isso de desfiles e concursos pode se converter numa profissão no futuro dessas crianças, eu já penso que temos valores beeeem diferentes. Mas tudo bem, isso eu não discuto. Eu, Kenia, particularmente prefiro que a minha filha tenha outra profissão - com isso não estou dizendo que modelos/atrizes e demais profissionais dessa área sejam prostitutas ou indignas, que isso fique bem claro! -, mas isso sou eu.
E a resposta da sua filha foi muito meiga, ela realmente entrou para competir amparada pelo seu amor e o da sua família. Mas ela tem sempre a esperança de chegar lá, não? Ano que vem ela tenta de novo... Você pode me dizer como ficará a cabeça da sua filhota se ela não conseguir, Gabrielle?
Abraço.

gabrielle disse...

A cabecinha dela crescerá emocionalmente e saberá que nem sempre na vida ganhamos!!
Sua opinião é diferente da minha!! como citei, respeito a sua, e espero que respeite a minha!
Criança tem vaidade, feminilidade!! gosta de brincar de princesa!! e lá elas se sentem verdadeiras princesas!! é um mundo de conto de fadas!! e ao menos no meu caso, não há pressão nenhuma!! Minha filha assistiu, gostou e quis participar!! e eu lógico incentivo!!
Quanto a valores, não acho que haja desvalorização nenhuma sob nenhum aspecto da vida se uma menina seguir uma carreira de modelo, até mesmo porque atualmente, o juízado da infância e juventude, exige toda uma documentaçãom antes de apresentações e desfiles, de que estas crianças estão estudando corretamente.
Fotogenia é um dom!! e "mercado" necessita de rostos e imagens para representar produtos!! se pode-se ganhar dinheiro com o que se gosta, porque não?
A infância nem sempre tem o mesmo significado para todos!! vc teve um tipo, eu tive outro, fulano outro, e assim vai...
Valores são valores, postura é postura, o interessante mesmo é sermos diferente, pois se todos tivessemos o mesmo pensamento, o mundo seria chato!!até mesmo para nós, pois não teriamos o que debater!! rs..
Fique com Deus!
Abraços

Kenia Mello disse...

Sem dúvida que eu respeito a sua opinião, Gabrielle. Somos pessoas diferentes, com valores diversos, mas nada impede que haja respeito na troca de idéias, não?
E concordo quando você diz que elas têm vaidade. O aniversário de 4 anos anos da minha filha foi das Princesas e ela escolheu a fantasia da Branca de Neve, ficou faceiríssima, toda se olhando no espelho, uma graça. Mas sabe o
que aconteceu? Mal ela chegou na festa, falou com as pessoas, tirou a coroa e as sapatilhas, levantou a saia e o manto e correu pro pula-pula! Não ficou na pose ou montada a festa inteira: suou, pulou, correu e nem aí mais pras Princesas!
Criança tem vaidade, sexualidade, vontades, mas creio que cabe aos pais conduzir essas demandas de modo que elas possam ser realizadas a seu tempo. Exacerbá-las e reforçá-las não me parece a coisa certa.
Como falei anteriormente, nada tenho contra a profissão de modelo, simplesmente não almejo isso para a minha filha, como também não gostaria que ela fosse professora como eu - unicamente pelo descaso com que a profissão
é tratada no Brasil, mas isso é outro papo. No entanto, caso ela se decida por uma dessas duas ou outra profissão qualquer, que o faça numa idade em que tenha discernimento para tal, e nesse ponto não haverá interferência minha ou do pai, com toda certeza.
O aspecto em que discordo firmemente de você é sobre a relativização da infância: ela é única, além de passageira demais e esse é o ponto. Não entendo a razão de brincar de adulto quando a criança passará a maior parte da vida dessa forma. E, sim, você acha que uma criança pode se divertir num concurso ou numa agência, já eu acho que existem lugares mais específicos para isso. Brincar é uma atividade lúdica.
Creio, Gabrielle, que andamos em círculos. Você tem suas convicções e eu, as minhas. Isso não vai acabar nunca.
Convido você a participar de outras postagens do blog. Aqui se conversa coisa séria, mas a turma se diverte também. E as pessoas que vêm aqui, creia, nem sempre pensam igual a mim, mas são sempre respeitadas.
Um abraço.

Fatima disse...

Kenia!!!
Acabei de ler o texto, e vi a matéria na Veja e no Fantástico ( acho que foi lá )....fiquei sinceramente digamos que chocada, coitadinha dessa criança!....a menina é linda realmente, mas precisa tudo isso?
Deixa essa menina brincar naturalmente, mãe!
Deixa ela ralar o joelho, escorregar na grama sentada num papelão...deixa ela tomar banho de chuva......subir no pé de manga!
Ah......que raiva dessa mãe!

ANA CLARA - MISS MINI ES 2008 disse...

Ok Kenia!!
Agradeço o seu convite, e estarei visitando outras postagens, se quiser visitar o bloog de minha filha é só clicar no meu nome que a levará até lá, fique a vontade !! verá algumas diferenças visiveis que poderá debater no seu sobre as miss misses!!
Agora, só para finalizar, o título da Nathália não é Mini Miss Mundo como anda sendo divulgado na mídia, e este concurso ainda esta por ser realizado na Turquia. O título dela é o "Niña del Mundo",
bjss

Carol e Bruna disse...

GENTE, NÃO VEJO NADA DEMAIS EM UMA CRIANÇA PARTICIPAR DE UM CONCURSO DE MISS,SE ESTÁ ESTUDANDO E BRINCANDO E É SAUDÁVEL ISSO NÃO VAI FAZER ELA SE SENTIR SUPERIOR, PORQUE O SUPORTE FAMILIAR TB É IMPORTANTE, O QUE NÃO FALTA POR AÍ, SÃO MENINAS DANÇANDO PAGODE, DE SLATO ALTO, MAQUIADAS, DE CELULAR, E COM 10 ANOS JÁ NAMORANDO ETC ETC...ISSO SIM ÉOREOCUPANTE, POIS A MÍDIA´, PRINCIPALMENTE A DA TV JÁ TEM SIGNIFICADO NA MANEIRA DAS PEQUENAS AGIREM E SE VESTIREM, EXISTEM ATRIZES CRIANÇAS, QUE SUPORTAM O ROTEIRO DE GRAVAR UMA NOVELA DAS OITO ETC...A MÃE E O PAI ACOMPANHAM, E NÃO É NADA PORNOGRÁFICO...OS PSICÓLOGOS DEVERÍAM SE PREOCUPAR É COM AS MENINAS E MENINOS QUE AMADURECEM PRECOCEMENTE SEM CONCURSO ALGUM...EXISTEM MENINAS DANÇANDO O CRÉU POR AÍ...DANÇANDO EM BAILES FUNK E OUTRAS COISAS, É SÓ DAR UMA VOLTA NO SHOPPING..TENHO UMA FILHA DE 7 ANOS, LINDA E VOU ESCREVER ELA SIM, NO MISS MINI BRASIL. A COMPETITIVIDADE É DO SER HUMANO E NA ESCOLA ELA JÁ EXISTE, AGORA, O SUPORTE EDUCACIONAL E OS VALORES DE RESPEITO E SER HUMANO QUE DOU A MINHA FILHA SÃO O QUE IMPORTAM. TANTA CRIANÇA FAZ PROPAGANDA NA TV ETC, E ISSO GERA UMA ROTINA, TEMOS NO BRASIL HJ A MAIZA, QUE LEVA UMA ROTINA DE MUITO TRABALHO E NÃO TEVE TANTAS CRÍTICAS, A EMÍLIA COMEÇOU CEDO E HJ ESTÁ NA NOVELA DAS SETE DA TV GLOBO, E É UMA PESSOA NORMAL. É INCRÍVEL A CAPACIDADE QUE OS BRASILEIROS TEM DE CRITICAR, CRITICAR E CRITICAR, OLHEM O LADO BOM DA COISA. A MALDADE ESTÁ NOS OLHOS DE QUEM VÊ, E NÃO É PORQUE UMA PSICÓLOGA FALA QUE AQUELE FATO É VERÍDICO, NINGUÉM ESTÁ NO DIA A DIA DA CRIANÇA.PENSEM ANTES DE FALAREM.

Anônimo disse...

natalia

Anônimo disse...

engraçado quando a criança faz novelas, ganham salários milionários que ninguém sabe como são usados, elas enfrentam roteiros, tem que gravar textos etc,dar autógrafos etc, e ninguém critica, a pessoal....vão no shopping..estão cheio de meninas de salto, de batom, e mal educadas, o importante são os valores.a maiza mesmo é atriz e faz várias campanhas publicitárias e fatura viu???? como é que concurso de miss não é coisa de crianças???? quem informou??? aonde está escrito???? deve existir sim......sou mãe e minha filha reclama constantemente que tem uma coleguinha gorda na escolinha que chamam de baleia, outra magrinha, é olivia palito, a outra de aparelho é boca de lata, sabem o que é isso??????? televisão e nossa sociedade a natália não vai escapar do mundo das competições por participar de um concurso...até em anorexia e bulimia voces falam, que absurdo!!!!!!!!!!! já estão traçando o futuro NEGRo na pobre natalia....quanta inveja acho que é isso......tem pai e mãe médicos que forçam seus filhos a fazerem medicina, tem tanta, mas tanta chantagem emocional na vida de uma família que englobam crianças e voces aí dando pitacos e criticas do que não sabem, e as drogas?????? e os pais que não colocam seus filhso na escola?? que trabalham demais e nem conversam com seus filhos....... kkkkkkk GARANTO UMA COISA, TEM MUITOS MAIS CRIANÇAS NOS CONSULTÓRIOS PSICOLOGICOS DO QUE NAS PASSARELAS, ISTO É A PROVA DE QUE NÃO EXISTE PROBLEMA ALGUM COM A MISS MINE....tomara que ela cresca e fique bem famosa, uma gilele da vida, e emocionalmente saudável, aí sim vai dar um tapa sem mão na cara de voces críticos desinformados.

Anônimo disse...

ÔOOOO prenambucobebendoparaomundo, vc deve estar bêbado......uma criança que participa de concursos pode parar a hora que quiser, então trabalhar em novela é crime??????? vai falar com a globo..........vai parar de beber e se informar, e não fale em JESUS porque ele jamais julga as pessoas, e vc não deveria colocar este nik, bebendopara o mundo....sepulcro caiado: O SEPULCRO CAIADO

O apóstolo João, escrevendo sobre o sepultamento de Jesus diz: “Tomaram, pois, o corpo de Jesus e o envolveram em lençóis com as especiarias, como os judeus costumam fazer, na preparação para o sepulcro. E havia um horto naquele lugar onde fora crucificado, e no horto um sepulcro novo, em que ainda ninguém havia sido posto. Ali, pois (por causa da preparação dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro), puseram a Jesus.

O corpo de Jesus foi sepultado em um sepulcro novo. Ser novo significa que esta sem uso. Um sepulcro novo estava vazio e depois foi cheio do corpo de Jesus.

Jesus, pouco antes de sua prisão e posterior crucificação fez um intenso ataque cheio de acusações contra os fariseus e mestres da lei narrado no capítulo 23 de Mateus, de onde quero destacar os versículos 27 e 28:
vai estudar a bíblia ante sde citar. e não julgue p não ser julgado.........o que te fez feliz não vai fazer dantom feliz, e ele pode ter as escolhas dele que não são as suas.e aí vc se frustra...eu não tive uma infancia de ralados, de pipas.brincando de rolimã, a sorte de seu filho é ter muitooooooo amor e vc orar para não pagar a sua lingua.