quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Amigos são presentes de Deus...






Pois sim, vai cuidando que o biscatão aí de cima ainda vai dar a Elza no seu marido, bunita.

Cara de quem se aprofundou na mescalina e não percebe que a sua passagem (só de ida) para as Ilhas Fidji já foi comprada:





(E antes que venham dizendo que não sabem quem são as personagens, que não acompanham novela, Zzzzzzzzz etc., mando todos praquele lugar, certo? Excetuando as amigas que não assistem por falta de tempo mesmo, claro)

Por mais songamonga que a criatura seja - na real, você não sacaria o olhar de peixe morto pra cima do seu bofe, não? -, o tema da inveja, rivalidade e competição entre 'amigas' sempre dá muito pano pra manga. Quem já não teve um exu desses em algum momento da vida?

Falando por experiência própria, tive uma amiga, lá pelos idos dos anos 80, que não podia me ver interessada por um rapaz que, pimba!, dava um jeito de chegar junto. Estudávamos psicologia, morávamos perto e sempre saíamos juntas. Como eu gostava realmente dela, relevei muitas coisas porque sempre achei que uma amizade verdadeira (e não era?) vale mais do que um amor passageiro. Evidentemente que, com o passar do tempo, fui dando o truque na amadinha e não contava mais nada da minha vida sentimental. O tempo e algumas decisões pessoais trataram de nos afastar: ela foi fazer a Elza dela num kibbutz, em Israel. Espero que ainda esteja por lá, bem na Faixa de Gaza...

E vocês, amigas, já passaram por situação semelhante?

18 comentários:

silvania lessa disse...

Fazer a elza no bofe de amiga deveria ser proibição punida com mutilação dos orgãos envolvidos de ambas as partes.
Já perdi um namorado para uma dessas mas no final, vi q quem saiu no lucro fui eu. ;-)

Anônimo disse...

Já passei... não exatamente assim, mas alguém para quem euzinha da silva arranjei emprego pra pagar faculdade e o quartinho em que morava, por ter sido enxotada da casa do tio, daí ela foi "civilizando-se" e fins de semana alojava-se na casa de uma vítima, digo, amiga, quase em frente da minha casa, inicialmente pra dar o bote no meu filhote frequentando inclusive a minha casa - de preferência qdo eu estava viajando, craru :P porém como ela não conseguiu nadica com ele, o fez no maridão em crise dos 40 que passou a dar-lhe carona todo dia pra faculdade em que a distinta estudava e onde ele pagava umas disciplinas.
Daí em diante eu de fato fui parar nas tais ilhas, mas até que voltei mais bronzeadinha... rssss:P
Isso não é lenda, o resto vc sabe :P
Enfim... entre mortos e feridos salvaram-se todos.
Graças a Deus!
Ah e eu creio sim que amigo é mesmo presente de Deus.
Vale só se ligar e ver quem é amigo da gente e quem é amigo da onça :P
bj
R.

Patricia Daltro disse...

Menina, uma vez só é pouco, teve época que escolhia a dedo, a amiga e o bofe, por que sempre tinha meu olho furado! Agora, mudei de amigas, de padrões e a coisa sossegou pro meu lado!

Anônimo disse...

já passei sim e a experiência não foi nada boa,garanto.
Mas hj penso q se aconteceu,foi pq nenhum dos dois valia nada e q de certa forma até me fizeram o bem saindo da minha vida.
Hj penso assim,mas na época o tal do orgulho ferido,da raiva e humilhação falaram mais alto.
no meu caso,o bom foi saber q depois de um tempo, a "amiga" levou a elza de outra...rsrsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

Paola disse...

Não é que a gente é venenosa, mas teve uma que literalmente mostrou os peitos para o maridão, até ele achou que a tal estav mal comida(limpa o veneno) não é que estava mesmo!
AH! Eu acho o fim da picada!
Cada um que faça sua freguesia, essa coisa de atacar a horta da outra, é o fim!

Beijocas

Paola

Anônimo disse...

nunca passei por isso.Vai vê que é porque me garanto né? Bando de xifrudas!

Kenia Mello disse...

Anônimo, claro que você se garante, principalmente na parte escrita da língua portuguesa, muarzinho(a) de mãe. :P

Repórter Bacurau disse...

Esse anônimo é xei de xifre... :)

Eu tava olhando essa novela brega da Globo (tu gosta de coisa brega também, né?) e reparando que ela embranqueceu o povo indiano. Não há nenhum personagem de pele escura...

Nem Juliana Paes como indiana, convence!

Anônimo disse...

Como diz o filósofo Reginaldo Rossi, quem ñ é, ou foi ou será :P
Aguarde pra "vê" rsss
Quem "vivê" verá ah ah ah
(aff doeu nos meuzói)
R.

Kenia Mello disse...

Repórter, é que o estoque de urucum só deu pra Vera Fischer mesmo. Hehehehe

Erando disse...

Ixi...Já existia fura olho no teu tempo, A.C.? Onde iremos chegar...

Kenia Mello disse...

Claro que existia, primo querido e lento.

Mudando de assunto, você, além das ilhas gregas, conhece as Fidji?

Tchaubeijoemeliga!

Creusa Santos disse...

Olha, quando me lembro de uma conhecida de turma, penso em como eu era idiota. Todo paquera que eu arrumava, ela tomava a dianteira da coisa e créu! Se bem que nunca foi do tipo de entrar em competição. Se vejo que o bofe deu mole pra alguém, largo logo de mão. Os dois que se façam bom proveito. Sou mais eu!
Mas bem que a tv deverida falar sobre a boa amizade entre as mulheres. Ela existe sim e é fonte de conforto, identidade e criatividade!

jose luis disse...

muy amiga
muy amiga

Beth/Lilás disse...

kkkkkk
Ofinal cm a Faixa de Gaza foi cruel, amiga! Gostei!
Por incrível que pareça, depois de trocentos mil novelas, estou 'tentando' acmpanhar esta. Adoro quando abordam temas em lugares bizarros, assim como a Índia, por exemplo.
Alguém aí disse que o povo tá todo branco demais e concordo, tá todo mundo com cara de Hollywood e não Bollywood. A Juliana Paes acho que convence, sim, mas o Garcia tá longe de ser indiano e ainda por cima intocável.
Mas, vá lá! Tá bonita de se ver e cheia de recados interessantes como este que vc abordou aqui.

bjs cariocas

Kenia Mello disse...

Beth, Márcio Garcia de intocável não tem nada, hein, amiga? Hehehe

E por que bizarria, Beth? Só porque na Ìndia casam meninas com cachorros?? Aqui não é diferente, flor, tenho um monte de amigas que casaram com um também. Hehehe

Beijos.

Esperança da Luz disse...

Já passei por isso. E o viado inda teve a audácia de me ligar pra perguntar se eu ainda tava com o bofe. Mandei tomar no edy.

Bom, já tava na hora da biscatona atacar. Porque em outras duas produções grobais o bofe que atacou a biscatona na época.

Kenia Mello disse...

Gente, o edy aí de cima é o Macêdo, tá? É que Esperança, muito fina e sofisticada, quis mandar a pessoa em questão ter religião e ser temente a Deus. :P