domingo, 15 de fevereiro de 2009



O curso agora engrenou (para desengrenar com o Carnaval, claro). Já tem muita coisa para ler, resenhar, pesquisar e como uma leitura puxa outra, a cabeça fervilha de idéias. No entanto, as disciplinas mais interessantes do curso, que têm mais a ver com literatura, começam só lá para o meio do ano. De momento, só instrumental da área de pedagogia. Zzzzzzzzzzzzzzzzzz. Por favor, as pedagogas amigas que não se melindrem, é que a vontade de já cair direto nas teorias do conto, do drama, de literatura e afins é tanta que não tem como não achar este começo chatinho, apesar de saber da sua importância.

À medida que o ritmo de estudos for se acomodando, volto a postar com mais regularidade e visitar vocês, certo?

-------------------------------------------------------------------------------------


Estava agorinha dando uma olhada nas notícias on-line e me deparei com a reportagem sobre um toureiro colombiano que, segundo o jornal, deu show em Medellín porque seu olé fez com que o touro caísse com os chifres cravados no chão:





Aí eu pergunto: show de quê, mesmo? Só se for de brutalidade e ignorância. Já está mais do que na hora de acabar com essa estupidez - da mesma forma, abomino as vaquejadas, farras do boi e afins - que só se sustenta em nome de uma suposta tradição cultural. Maltratar animais é crime e nada pode justificar essa prática. É por isso que quando um touro acerta um toureiro em cheio, eu acho é pouco!

8 comentários:

Anônimo disse...

eu não me chateio nem um pouco mesmo sendo pedagoga.É verdade q muita fundamentação teórica,especialmente da prática da sala de aula é enfadonha mesmo.rsrsrsrs

Sobre as touradas e demais,tb acho uma estupidez incrível.Em nome de certas tradições muitas coisas horrendas já foram(e são) justificadas.

Bjos e []s

Ivette Góis

DJ disse...

Apesar da tourada ser apreciada em Portugal, e de se praticar tourada de morte numa região do nosso país, não consigo gostar da tauromaquia. Mau demais para ser verdade, este "desporto" idiota.

Beijos

silvania lessa disse...

Tb não acho muita graça nesses "esportes" não. Envolveu crueldade, estou forinha. :-)

Ah, eu sempre toço pelo touro. ;-)

jose luis disse...

sempre fui um torcedor de carteirinha
fanatico mesmo
do touro

Ana R. disse...

Já fui assistir uma tourada quando morava no Equador. Não suportei nem ficar até o final...É de uma maldade com o animal....Não dá pra engolir essa estética. Só mesmo para um estômago como o de Picasso.

LuMa disse...

Kênia, eu sempre me perguntei o que um ser humano pode ver de "espetacular" num animal maltratado. Há os que defendem a "tradição cultural", como se hábitos e costumes perpetuados há séculos não pudessem ser contestados. Eu tbém, qdo vejo uma cena de tourada na TV, torço o tempo todo para que o toureiro leve uma chifrada daquela! Beijos, LuMa

Crysthine disse...

Eu nao consigo torcer por nenhum dos dois, embora saiba q o touro é a vitima e q, se machuca o toureiro, é pra se defender.
Abomino violencia em nome do esporte ou espetaculo, mesmo no box, onde ambos decidem se machucar.
Beijos

Anônimo disse...

Por isso digo e repito a frase não lembro de quem, perdoem-me:
QUANTO MAIS CONHEÇO O SER HUMANO, MAIS AMO OS ANIMAIS.