quinta-feira, 31 de março de 2011

Grande expectativa



Amanhã é dia de desafio, mais um em terras holandesas. Desafio sobretudo para Mariana: será seu primeiro dia na escola permanente, na qual ela estudará nos próximos anos, caso não haja nenhuma mudança de percurso.

Desde novembro do ano passado, ela tem frequentado a escola para crianças estrangeiras (aquela sobre a qual falei rapidamente no post anterior). Pois bem, havendo um domínio relativamente bom do idioma holandês, a criança passa a frequentar, todas as sextas-feiras, a escola onde estudará em definitivo, ficando o resto da semana na escola de estrangeiros, cuja duração chega a um ano.

Amanhã, pela primeira vez, Mariana vai estar em um ambiente onde as crianças do nivel dela (grupo 4, aqui a divisão é por idade) só falam holandês. Medo. Eu e ela. Tentamos amenizar um pouco o tranco indo visitar a escola na semana passada: linda, novinha, super colorida, um mimo e, o melhor, aqui em Diemen, dez minutos de caminhada, cinco de bicicleta. Mariana ficou muito animada, curtiu tudo. Hoje, no café da manhã, falou que estava querendo ir, mas um pouco nervosa. Ô dó do meu pitoco!

Ao mesmo tempo, estou super orgulhosa da criaturinha porque ela já está falando holandês sem pensar, com erros, claro, mas já se comunica bem com estranhos, assiste aos desenhos na TV sem que Paul precise traduzir -- ontem foi uma confusão danada aqui em casa porque ela cismou que quer assistir ao jornal também. E a recomendação da faixa etária é a partir de 12 anos...

Temos nos esforçado bastante para dar suporte com as tarefas da escola. No Brasil, eu era a responsável por isso: tínhamos o horário das tarefinhas, ela já estava bem acostumada. Como aqui a escola é de período integral, fica um pouco cansativo, especialmente porque não temos as mordomias do Brasil: o jantar precisa ser feito e mais aquelas coisinhas que tomam tempo e fôlego. Mas sempre há um espacinho reservado para estudar o que foi visto na escola, tirar dúvidas etc.

Como ainda não domino o idioma, estou sempre com o meu dicionário de lado nas horas de estudo de Mariana. E, sim, hoje, passado o stress do exame de holandês que tive de fazer, vejo que o que aprendi tem me ajudado bastante, sobretudo nesse apoio à Mariana. Não vejo a hora de começar o meu curso de holandês! Até porque preciso acompanhar a criatura, que só quer falar em Nederlands em casa. Inclusive os desaforos...

Bom, ainda quero falar sobre a dificuldade com o idioma, mas, no momento, a minha agonia é com o dia de amanhã! Espero que tudo dê certo. Depois conto o resultado da empreitada.


Update:


Parte 1: apesar de eu ter perdido o sono de madrugada (novidade!), a ida para a escola foi legal. Fomos para a sala dela e a professora foi a que eu simpatizei de cara na homepage da escola, torci para que fosse ela: cara boa, meiga, expressão de professora de criança mesmo. Mariana disse que estava nervosa, mas ficou bem. Às 15h15 vou buscá-la e saberei a Parte 2 da aventura, tomara que ela diga que gostou! Mãe é bicho que sofre e desidrata...

Parte 2: expectactivas superadas! Conversei com a professora e ela disse que, para o primeiro dia, Maricota foi muito bem, além de ser uma criança adorável (queria ouvir a opinião da juf Ely sobre Mariana em piti mode on...). E que não foi nada tímida: perguntou coisas a ela e aos colegas. Ufa.

Eu também estava preocupada porque a maioria dos colegas de classe de Mariana (da outra escola, mesma idade) foi para o grupo 3 nas suas escolas permanentes e a criatura foi para o 4. Logo cedo, a supervisora disse que seria um desafio para ela acompanhar e eu voltei para casa preocupada também com isso. Ao perguntar à Ely sobre essa questão, ela também me tranquilizou dizendo que Mariana acompanhou tudo muito bem, um ótimo início.

No tocante à criatura, já estava toda enturmada: quando botei a cara pálida na porta da classe, as amigas foram logo avisando. E eu morrendo de ansiedade... No caminho de volta, ela me disse que tinha adorado a escola, feito amigos e blablablá. Mãe é mesmo bicho sofredor, desidratado e besta.


7 comentários:

Nei kS disse...

Nada como uma criança falando o idioma local em casa. Facilita, voce aprende até giria.

Sempre dá tudo certo, gente boa.

Anônimo disse...

Vai dar tudo certo como Nei disse,Kenia,Maricota é muito esperta! Aperta o coração mas eles precisam crescer!Pense pelo lado bom:ela já é bilingue!rsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

Simone Westerduin disse...

Que orgulho da Mariana viu! Será que macaco velho também aprende truque, porque olha tá dificil formar frases sem que as pessoas me olhem com cara de espanto.

Boa sorte pra Mariana na escola nova.

Beijao

Kenia Mello disse...

Pois é, gente, Maricota samba em holandês. :D

Luciana Vannucchi de Farias disse...

Poxa, eu andei atrapalhada e nem passei a tempo de desejar boa sorte!!!

Orgulho da Ena-Sobrinha... :-)))

E.... sim, mãe sempre sofre! Lembro-me do ano passado, quando vi pela primeira vez a Juju entrar sozinha na condução pra escola nova, rsrsrsrs...

Beijocas!!!

Luciana Vannucchi de Farias disse...

Oi, querida! E como é que está a Mariana lá na escola?

Beijocas, uma ótima semana procês todos aí!!!

Kenia Mello disse...

Lu, sexta passada foi a segunda ida dela na escola definitiva (só vai uma vez por semana, o restante é na escola de estrangeiros). Segundo a professora da sexta, ela vai muito bem, tem muitos amigos e está acompanhando tudo direitinho. Beijos pra vocês.