terça-feira, 12 de abril de 2011

Intolerância ? - Burca na França








Desde ontem não se fala em outra coisa nos jornais daqui que não seja a prisão das mulheres muçulmanas, as quais desobedeceram à lei que proíbe o uso da burca, na França. Fala-se de intolerância, de desrespeito à liberdade de credo etc. Aqui na Holanda, a população muçulmana é numerosa, e o holandês, basicamente, assume duas posições diante dela: ou se alinha com o político de extrema-direita Geert Wilders ou fica em cima do muro (a maioria), postura esta, aliás, que estou começando a perceber ser uma constante em muitos outros aspectos da vida holandesa.

Já eu acho o seguinte: se na maioria dos países muçulmanos, a mulher ocidental é obrigada a cobrir a cabeça, o colo e os braços, podendo ser vítima de violência física e/ou verbal caso não o faça, por que motivo, então, não deve haver reciprocidade nos países não-muçulmanos? Querem impor as leis em seu país (o que é legítimo), mas não querem obedecer às leis do país que escolheram para viver? Assim é bom. Parece que a tolerância e a diversidade são usadas unilateralmente nesse caso, não?

11 comentários:

Anônimo disse...

Esse último ponto q vc colocou é uma questão para se refletir.Outra coisa:será q essas mulheres se sentem bem usando a burca?O assunto é muito complicado, entendo q as pessoas devem ter suas opiniões e credos respeitados,mas tb precisam se adaptar às situações se desejam viver num país q não é o seu.Assunto espinhoso.

Bjos e []s

Ivette Góis

Anônimo disse...

O impedimento do uso da burca é uma atitude de etnocentrismo do presidente da França e de quem apoia uma coisa dessas. Puro preconceito que só deixa atrás de si ódio e ressentimentos.

Kenia Mello disse...

Etnocentrismo apenas de um lado, anônimo(a)? Por acaso viver em outro país, geralmente em condições melhores do que as que teria no seu país de origem, usufruir de todos os benefícios que essa situação acarreta, e mesmo assim qualificar quem não comunga do seu credo como infiel também não é etnocentrismo? Ah, meu bem, o buraco é mais embaixo...

Pezão disse...

Vou falar sobre o mesmo assunto no postdegasolina. Posso. Sou a favor da Lei Sarkozy(tem nome essa porra). Manda a mulher do anônimo dar uma voltinha na rua usando uma burca. para mim, burca é nome de barzinho na...Urca.
Bjs, xau.

Pezão disse...

E usar interrogações que é bom...
Posso?
Tem nome essa porra?

bj-xau

Paola disse...

Acho essa história bem estranha antes da lei.
Afilnal se é para usar burca por que, saiu do país de origem?
PAOla

Mani disse...

Quando se decide viver num país, deve-se respeitar as leis daquele país. Simples assim...Concordo contigo, a pessoa quer usufruir dos direitos, mas sem atender as obrigações da vida daquela nação.

Simone Westerduin disse...

ó eu concordo! Não gosto dessa burca não, mas só vi burca, assim toda coberta 1x aqui pelas bandas de Den Haag. Eu as vezes fico curiosa pra ver o cabelo dessa mulhezada, mas povo cobre, me sinto mal quando entro no onibus todo mundo coberto e eu lá, com essa cara de musli que eu tenho toda descoberta, alias essa tecnica de cobrir ai funciona bem pros dias em que eu nao quero pentear o cabelo.

beijao

Kenia Mello disse...

Pois ontem, por coincidência, vi uma de burca em Amsterdam, no bairro onde Mariana estuda, que, aliás, é reduto muçulmano. Esta última temporada minha aqui, vi, no máximo, com a de ontem, quatro. Mas as que só cobrem o cabelo não dá nem pra contar, acho que são em maior quantidade do que as que mostram. :P

Anônimo disse...

Eu nunca vi uma mulher de burca pessoalmente,acho q eu correria... rsrsrsrs

Ivette Góis

Anônimo disse...

elas, ou eles devem obedecer nossas leis , nao ha o que se discutir, vou eu usar meu shors ou mnini saia num pais muçulmano, quero ver o que vai aconter comigo, sou a favor da lei da reciprocidade!!! fora burca e fora veu!!!