sexta-feira, 22 de julho de 2011

Adivinha quem vem passar as férias conosco



Com as férias escolares, meus cunhados e sobrinhos seguem no início de agosto para o Brasil. Nem preciso dizer o quanto eu queria ir também, mas, depois de ter voltado em janeiro deste ano, não dá mesmo, Brasil agora só daqui a exatamente um ano, paciência. Pausa dramática. Pois bem, já comentei aqui sobre a vontade de Mariana de ter um animalzinho de estimação. Daí que os cunhados, sabendo desse amor platônico da sobrinha pelos bichinhos, perguntaram se a gente topava ficar com o deles nas férias.



Entonces, daqui a alguns dias, Dropje será o novo residente provisório desta morada de onde vos escrevo. Pra quem é versado nos costumes tamancolândicos, o nome do bonito é auto-explicativo, mas como a maioria dos meus poucos leitores não conhece, eis a explicação:



Drop é essa balinha preta aí de cima (dropje é o diminutivo), bem típica e, na minha opinião, pode até ter exceção, quem não é daqui e adestrado desde a infância pra gostar delas, definitivamente, acha uó. É o meu caso. Em termos de comida, tem realmente poucas coisas daqui que eu não gosto, o drop é uma delas, e o salgado, então, argh!

Bom, com o significado do nome da criatura já esclarecido, aguardamos ansiosamente a chegada do dito cujo.

Sobre sua personalidade: foi adotado pelos cunhados em um dos muitos asilos para animais abandonados. Quando chegou, já era um adulto jovem. Cunhada acredita que ele deve ter sido vítima de maus-tratos porque demorou um tempão para aceitar carinhos e confiar neles. E o danado é traiçoeiro: fica na maior esfregação com a gente e, de repente, nheco! Taca mordida, arranhada e tal. Cousas de um temperamento bipolar, tenho as manhas. E prevejo dias de fúria: ele é acostumado a ir e vir livremente, pois meus cunhados moram em casa. Já nós, moramos em apartamento e como ele não conhece a nossa vizinhança, não sou nem doida de deixá-lo sair... Esse gato vai enlouquecer: além da privação da liberdade e a casa estranha, terá uma criatura de 7 anos, cheia de amor e carinho, nos seus calcanhares por quatro semanas. Certamente, essas férias de Dropje serão inesquecíveis...


10 comentários:

Nei kS disse...

ainda bem que é o Frajola, imaginei que fosse uma daquelas tias COM o Frajola.

Ulala.

Anônimo disse...

Mariana deve estar amando a idéia, heim? Depois quero saber como está sendo a estada do hóspede...rsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

Simone Westerduin disse...

ahhaah to aqui lendo na traduçao simultanea pra Iwan o seu post e ele tá rindo demais com o nome Dropje! Espero que Mariana se divirta muito com o gato, ela vai aprender a domar o temperamento, você vai ver.

beijao

Rydi disse...

Nossa eu não gostava de gato justamente por causa desse temperamento bipolar, me assusto com as mordidas, boa sorte com seu hóspede XD

bjsss

Kenia Mello disse...

Nei, pois é ainda bem que a visita vem sem contrapeso. ;)
Beijos.

Ivette, ela está que não se aguenta, não vê a hora do bonito chegar. Pode deixar que narro os episódios. ;)
Beijos.

Simone, ela com certeza vai domar o temperamento, mas vai ser o dela porque gato tem vontade prórpia. Hehehe
Beijos.

Rydi, a bipolaridade é deste gato, a gente supõe que ele já deve ter sofrido, tem um temperamento difícil mesmo. Mas tenho amigos que têm gatos e gatas fantásticos, companheiros, doces. O lance do gato é que ele só faz o que quer e quando quer, é independente, diferentemente do cachorro, mais submisso ao dono. Prefiro cachorro, mas tenho um grande respeito pelos gatos pelo que eles são.
Beijos.

Creusa Santos disse...

Kenia, vc e um gato, sob o mesmo teto! Essa eu quero ver. De duas coisas tenho certeza: será um excelente mote para sua produção literária, bem como será motivo de muita felicidade para Mari. Não deixe de escrever sobre as aventuras! Bjos.

Kenia Mello disse...

Creusa, sabe que estou até animada com a chegada dele, viu? Vamos ver se todos sobreviverão. :)
Beijos.

Alexandre disse...

Acho que ela vai gostar do bichano.Porém, com a experiência de quem cria ,atualmente, quatro da espécie quero dar umas dicas: Primeiro,a bipolaridade talvez não seja exatamente isso,mas simplesmente a forma de expressar carinho do animal,principalmente se for castrado.Se ele não emite grunhidos ou sopros ameaçadores,(digamos assim) e apenas agarra e dá pequenas mordidas, às vezes chegando a dar chutes coma as patas traseiras, isso é apenas a forma de ele brincar, como o faria com outro animal. Se ele é desse,basta dar-lhe para brincar uma bola de papel ou de pano, ou de borracha,saltitante.Tenho uma gata, a mais velha,muito carinhosa,que apresenta exatamente esse comportamento.Mas são mordidas de leve que podem arranhar mas não perfurar.Aconselho que oriente a Mariana a não promover movimentos bruscos próximos do rosto,pois esse tipo de animal é extremamente sensível a alterações posturais (por isso todo gato cai em pé) e para não cair poderá tentar agarrar-se com as patas,inclusive as unhas. Será um ato involuntário que poderá ser mal interpretado mas podendo gerar estragos,principalmente na face delicada de uma criança.Aliás a maioria das pessoas interpretam mal os gatos.Eles não são traiçoeiros.Pelo contrário,avisam quando estão irritados e mesmo assim quando ambientados,não tomam atitudes grosseiras.Agarrar e mordidelas são expressões de carinho ( é como brincam entre irmãos)da espécie,são felinos como os tigres e os leões; os cães são lobos, e por aí vai.Vigilância constante pois a Mariana ainda é muito novinha para entender os sinais do animal.
É bom não deixá-lo sair.E se a sua vizinhança for como a minha,que ainda tem gente que prende passarinho em gaiola e põe veneno para matar os bichanos...Por isso os meus não saem.Vivem na área superior da casa, com tudo o que necessitam,menos a liberdade,pelo motivo citado. Uma outra dica é, além da ração, um pouco de capim(desses que nascem à toa,aqui no Brasil) As pessoas riem quando digo,mas gatos comem capim,principalmente em cativeiro.Não muito mas, um tufo de capim ainda com raízes(para durar) num vaso(como uma planta) vai ser uma boa pra ele comer quando tiver vontade.
Quanto ao doce,parece gostoso (é de chocolate?) Mas, salgado?Eu hein?!

Kenia Mello disse...

Alexandre, obrigada pelas dicas de segurança e pelos esclarecimentos quanto ao temperamento felino, pois minha experiência com eles é muito pequena. A dica do capim é importante, uma vez que ele tem acesso ao mesmo e aqui em casa, por não poder sair, não terá. Sobre a vizinhança, o meu medo é que ele se perca. Aqui as pessoas cultivam um amor muito grande pelos animais, pode ser até que tenha gente que faça maldades, mas, se for descoberto, vai pra cadeia. O povo holandês, assim como o francês, é conhecido pelo amor e cuidado com os animais.
Sobre o drop, ele é feito alcaçuz e açúcar, no caso do drop doce, e alcaçuz e salmiak (sal de amônia). Blergh!
Beijão.

Kenia Mello disse...

Alcaçuz e salmiak, o salgado. :)