domingo, 28 de setembro de 2008

A primeira comunhão a gente nunca esquece...



Ontem passei por uma loja de artigos religiosos católicos e vi, logo na entrada, trajes para primeira comunhão. Imediatamente relembrei a minha. Eu tinha uns sete anos. Foi um acontecimento: usei um vestido comprido e branco e uma tiara linda, de flores, no cabelo. Ao contrário de outros trajes que tive de usar em outras ocasiões específicas, lembro que deste gostei muito. Por ter crescido com meus avós, convivi com imagens de damas antigas e suas saias compridas e armadas, seus chapéus e demais penduricalhos, essa parte foi fácil e até prazerosa, portanto.

E a coisa toda se passou na escola, veio um padre com confessionário e tudo. Recordo também a expectativa, o medo da confissão, de errar as orações. Um verdadeiro ritual de passagem.

Meus pecados, na época muito singelos, foram dois: Padre, eu quebro as minhas bonecas - por acidente e desembestamento, nada de sadismo, vejam vocês -, e respondo à minha avó. Um pai-nosso e uma ave-maria.

Fico pensando se fosse hoje... Bem, uma vez no inferno, o negócio é abraçar o capeta.

10 comentários:

Lilás/Beth disse...

Minha lembrança da 1a.comunhão é uma só - desmaio por falta de comer.
Naquele tempo tinha que ficar em jejum para engolir a hóstia e aí fiquei muitas horas. Então, só podia dar naquilo.
Num gostei não!

Anônimo disse...

Minha primeira comunhão também foi marcante, com direito a festa com bolo e um lindo vestido branco e comprido.
Mas o melhor mesmo da recordação dessas celebrações da infância é aquela "aura" de inocência que nos envolve...
Beijos
R.

Kenia Mello disse...

Beth, que maldade, hein? Ainda bem que não tive que passar por esse jejum forçado.
Beijos.

Regina, compartilhar lembranças é bom por isso: lembrei agora que também teve festa na minha casa, com bolo especialmente decorado, todo branco, com uvas e um cálice dourado. :)

Anônimo disse...

esses rituais sempre deixam lembranças,fazem parte das nossas vidas e por mais q tomemos caminhos diferentes,serão sempre recordações valiosas.
Essa do capeta foi sensacional.rsrsrsrs

Bjos e []s

Ivette Góis

jose luis disse...

no meu tempo do clegio catolico
eu adorava comungar
so'pra tomar o cafe' da manha no colegio
ate' ensaiava o que ia confessar ao padre

mila.ribas disse...

Hahahah
Se fosse hoje os padres sairiam correndo.

Denise Arcoverde disse...

Hehehe... se fosse hoje, seu pecado seria dizer "amém" pros músculos do Damião :-)

Kenia Mello disse...

Mila e Denise, sejam bem-vindas! :)

Esperança da Luz disse...

Não tenho lembrança da minha.
Aliás, não tenho lembrança nem do meu batismo.
Por quê?
Porque não fui batizado, daí não fui comunhado, simples né?
E ainda bem que num passei por isso pois desde criança que abracei a Doutrina Espírita. Mas acho um ritual bonito da igreja.
Tem foto teatcher?

Ana disse...

Lilás/Beth
Lembro de uma menina que desmaiou na Primeira Comunhão. Realmente tínhamos que ficar em jejum.Isso foi em Niterói, na Porciúncula. Será que foi você? rs